quinta-feira, 30 de junho de 2011

O CULTO DA VERDADE

A verdade sempre foi característica da conduta, do pensamento e do relacionamento do Maçom com seus Irmãos, com as pessoas e a sociedade em geral. Do ponto de vista filosófico, temos que um princípio maçônico é a investigação constante da verdade, a busca da verdade, o que, aliás, nos diferencia das religiões, cada uma com seus dogmas estabelecidos.

A verdade analisada do ponto de vista moral é a palavra do dia a dia, das relações sociais, familiares e maçônicas. É a correlação entre a inteligência, o pensamento e a palavra correspondente. Essa, a verdade que opõe à mentira, a mãe da calúnia, da difamação e da injúria. Somente um falso Maçom se comportaria, dentro ou fora da Sublime Ordem, submisso a essa estranha maneira de viver.

A prática da mentira é um vício que só pode alcançar aquele cujo perfil se inclina para o mal, nada tem a ver, portanto, com a rotina maçônica, com a vida em Maçonaria, uma escola da virtude definida como a “disposição da alma que nos induz a praticar o bem.” Nenhuma vocação maçônica tem o mentiroso, o farsante, o ardiloso.

Há um exemplo de um grande cultor da verdade que preferiu morrer, como morreu, assassinado, a enganar os seus algozes com uma palavra falsa e assim salvar a própria vida. Outras lendas maçônicas exaltam o mérito da verdade em oposição à mentira. O respeito à verdade não admite condições. Rousseau adota o lema: Vitam impendere vero – Consagrar a vida à verdade.

Na vida social e política nenhum preconceito, nenhuma discriminação, nenhum convencionalismo, mas, sim, a procura constante da verdade a respeito dos fatos e das situações que se apresentam ao nosso julgamento sério e isento, sem o que o homem se arrisca a abdicar das próprias idéias em favor de cooptações externas.

Já se disse que a Maçonaria ensina a pensar, isto é, a procurar a origem dos acontecimentos e das situações, a verificar o caráter daqueles que investem contra nossas tradições em favor de modernidades passageiras, e assim achar o melhor caminho para prosseguir no trabalho árduo e fatigante, mas que nos traz a recompensa de estarmos lidando com o culto da verdade.

Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O GOVERNO TRÍPLICE

Festejamos nestes dias a renovação da Soberana Assembleia Federal Legislativa, como acontece a cada quadriênio com a posse de novos deputados e também dos mais antigos, bem como a eleição da nova Mesa Diretora, desta feita liderada pelo Sapientíssimo Irmão Arnaldo Soter.

Acontecimento comum, de acordo com mandamento da Constituição Federal, torna-se especialmente importante pela oportunidade que têm as Lojas de escolher, periodicamente, seus representantes no Governo Federal, composto Pela Soberana Assembléia Federal Legislativa, pelo Superior Tribunal Federal e pelo Grão-Mestrado.

Essa clássica divisão tríplice do poder é peculiaridade do Grande Oriente do Brasil entre as potências maçônicas que hoje se empenham em instaurar no mundo os princípios da fraternidade, da união e da concórdia, em busca da prosperidade e do aperfeiçoamento do gênero humano.

Entende o Grande Oriente do Brasil que essa é a melhor forma de governar, onde o Soberano Grão-Mestre Geral é responsável pela condução da Ordem a seu destino, atuando, entretanto, segundo as leis emanadas da Soberana Assembleia Federal Legislativa e sob observação vigilante do Supremo Tribunal Federal Maçônico.

O modelo democrático de Governo Tríplice - invenção do nosso famoso Irmão Conde de Montesquieu, prolífico escritor francês do Século Dezoito - caracteriza-se pela independência e harmonia entre os poderes, de forma que nenhum deles é submisso a outro. Cada um opera em perfeita sintonia no conjunto, representando um terço do poder.

Rendemos graças ao Supremo Arquiteto do Universo pelo encerramento feliz de mais um período legislativo do Grande Oriente do Brasil, certo de que a paz e a concórdia serão a argamassa com que construiremos o grande templo da Magna Ordem.


Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral

MINISTRO CONFIRMA PAGAMENTO ANTECIPADO DE METADE DO 13º PARA APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO INSS

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho, confirmou ontem que a antecipação de metade do 13º salário de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) será paga em agosto. Com isso, o governo dará prosseguimento ao acordo que vigorou durante o governo Lula. O ministro ponderou que ainda não foi fechado o novo entendimento com representantes sindicais dos aposentados, do qual depende decreto presidencial para garantir a antecipação nos próximos anos. Os ministérios da Previdência e da Fazenda estão negociando os termos dessa política. A proposta em pauta prevê a antecipação em 2012 para julho. A partir de 2013, metade do décimo terceiro seria paga em junho.

Ministro Garibaldi Filho anuncia números da Previdência Social
"As discussões sobre esse assunto estão seguindo o rumo desejado. Está faltando apenas uma reunião conclusiva. Acredito que não haverá problema para que a antecipação do 13º desse ano seja feita em agosto", afirmou Garibaldi Alves Filho. O ministro também respondeu a perguntas dos jornalistas sobre outros pontos que estão sendo discutidos pelo grupo de trabalho composto por técnicos do Ministério da Previdência Social, de centrais sindicais e de entidades representativas dos aposentados.

Garibaldi Filho disse que o ponto principal que está sendo debatido no momento é a criação de uma alternativa que permita ao governo extinguir o fator previdenciário. Segundo o ministro, há consenso de que o fator deixou de cumprir o objetivo para o qual foi criado, de evitar que os trabalhadores se aposentassem de forma precoce. O problema, explicou, é que ainda não se chegou a um consenso sobre uma fórmula para substituí-lo.

Com arrecadação crescendo (9%) em ritmo superior ao do pagamento dos benefícios (3,8%), a Previdência Social acumula déficit de R$ 17,8 bilhões no ano até maio, um queda real de 16,5% sobre igual intervalo de 2010.

A necessidade de uma reforma no sistema previdenciário também foi defendida pelo ministro. Ele também antecipou que há consenso entre o governo e representantes das centrais e dos aposentados sobre a necessidade de alterações. Um acordo está sendo negociado. Garibaldi Filho opinou que as alterações nem precisariam ser muito abrangentes. "Às vezes uma reforma pequena pode produzir grandes resultados e uma prometida reforma gigantesca não", comparou.

Sobre a reforma na previdência do funcionalismo público, o ministro Garibaldi Filho lembrou que já tramita na Câmara dos Deputados um projeto enviado pelo governo passado, o PL 1992/07, que cria a previdência complementar do servidor público.

Garibaldi Filho destacou que, pelos termos da proposta, as alterações somente valeriam para os funcionários que ingressassem no serviço público após a legislação entrar em vigor.

Déficit registra queda de 58% em abril

A Previdência Social registrou déficit de R$ 2,419 bilhões em maio. O valor é resultado de uma arrecadação líquida de R$ 19,039 bilhões e de despesa com pagamentos de benefícios previdenciários de R$ 21,459 bilhões. O deficit de maio é 58% menor que o de abril, quando a diferença entre a arrecadação e os pagamentos ficou deficitária em R$ 5,762 bilhões. Em comparação a maio de 2010, o déficit ficou 12,2% menor.

Já no acumulado de cinco meses, o déficit atingiu R$ 17,836 bilhões, com redução de 16,5% ante o resultado negativo de R$ 21,369 bilhões do mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pelo Ministério da Previdência Social.

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, atribuiu a redução do déficit ao aumento da arrecadação. "O crescimento da arrecadação é o mais significativo. O aumento da arrecadação, que foi de 9% real no acumulado de cinco meses, em função do aumento do salário médio e do aumento da formalidade", disse.

O deficit da Previdência no setor urbano foi de R$ 1,778 bilhão em maio, maior que o deficit de maio do ano passado, que foi de R$ 1,223 bilhão - variação de 45,4%. O pagamento de passivos judiciais somou R$ 234,8 milhões.

Fonte: Tribuna do Norte

terça-feira, 28 de junho de 2011

RECESSO MAÇÔNICO DA LOJA AMÂNCIO DANTAS

A Samaritana Soraya Vieira, colunista do Jornal Gazeta do Oeste, proferiu, por ocasião do recesso maçônico da Loja Maçônica Amâncio Dantas, a belíssima palestra "A importância da mulher na maçonaria".

Nessa ocasião se fizeram presentes vários irmãos e samaritanas. Veja fotos: 








Veja mais imagens clicando AQUI.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

BANQUETE RITUALISTA

Fotos dos irmãos da Loja Maçônica Amâncio Dantas de Mossoró - GOB/RN reunidos por ocasião do Banquete Ritualista.







Para visualizar mais fotos do Banquete Ritualista da Amâncio Dantas Click AQUI.

domingo, 26 de junho de 2011

VÍDEO: PALAVRA DO GRÃO-MESTRE AOS NOVOS VENERÁVEIS MESTRES

O Soberano Irmão Marcos José da Silva, Grão-Mestre Geral, levou sua palavra aos novos veneráveis que assumiram a presidência das Lojas. Confira em vídeo a íntegra da nota.


Veja o vídeo
.
Fonte: gob.org.br

III ENCONTRO NACIONAL DE DUCTORS - ENAD


É com grande satisfação que a Secretaria Geral de Entidades Paramaçônicas vem convidar todos os Ductors e Diretores Executivos de todo o Brasil para uma grande festa de brasilidade.

Nos dias 21 a 24 de Julho de 2011, será realizado o III Encontro Nacional de Ductors – ENAD da Ação Paramaçônica Juvenil, na sede do Grande Oriente do Brasil em Brasília – DF.

O tema deste encontro será “Ductors ensinando Ductors” com o objetivo de consolidar a estrutura nacional prevista no Regulamento Geral, bem como a integração e a troca de experiências entre os lideres da instituição.

Os Ductors deverão se inscrever até o dia 29 de Abril de 2011, através do preenchimento do relatório de atividades em anexo, assim como a dos Diretores Executivos.

A ficha de inscrição será disponibilizada através do relatório de atividades, sendo que a programação será divulgada a partir do dia 04 de Maio de 2011. Devem as inscrições serem enviadas ao e-mail apj@gob.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Haverá a elaboração do Manual Administrativo dos Núcleos, para tanto os Ductors deverão ir ao encontro com idéias e planejamentos referentes à administração de núcleos, bem como a função de cada membro, para auxiliarem na sua elaboração.

Ficha de inscrição do Apejotista, clique aqui.
Ficha de inscrição do Diretor Executivo Estadual, clique aqui.
Projeto do encontro, clique aqui.


Por fim, com o intuito de obterem quaisquer esclarecimentos, os Ductors e Diretores Executivos deverão acessar o site da APJ/GOB: http://www.blogger.com/undefined/apj bem como enviarem e-mail para apj@gob.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Jair Félix da Silva
Secretário Geral de Entidades Paramaçônicas
Assessoria de Imprensa e Relações Públicas

sexta-feira, 24 de junho de 2011

O CULTO DA VERDADE

A verdade sempre foi característica da conduta, do pensamento e do relacionamento do Maçom com seus Irmãos, com as pessoas e a sociedade em geral. Do ponto de vista filosófico, temos que um princípio maçônico é a investigação constante da verdade, a busca da verdade, o que, aliás, nos diferencia das religiões, cada uma com seus dogmas estabelecidos.
.
A verdade analisada do ponto de vista moral é a palavra do dia a dia, das relações sociais, familiares e maçônicas. É a correlação entre a inteligência, o pensamento e a palavra correspondente. Essa, a verdade que opõe à mentira, a mãe da calúnia, da difamação e da injúria. Somente um falso Maçom se comportaria, dentro ou fora da Sublime Ordem, submisso a essa estranha maneira de viver.
.
A prática da mentira é um vício que só pode alcançar aquele cujo perfil se inclina para o mal, nada tem a ver, portanto, com a rotina maçônica, com a vida em Maçonaria, uma escola da virtude definida como a “disposição da alma que nos induz a praticar o bem.” Nenhuma vocação maçônica tem o mentiroso, o farsante, o ardiloso.
.
Há um exemplo de um grande cultor da verdade que preferiu morrer, como morreu, assassinado, a enganar os seus algozes com uma palavra falsa e assim salvar a própria vida. Outras lendas maçônicas exaltam o mérito da verdade em oposição à mentira. O respeito à verdade não admite condições. Rousseau adota o lema: Vitam impendere vero – Consagrar a vida à verdade.
.
Na vida social e política nenhum preconceito, nenhuma discriminação, nenhum convencionalismo, mas, sim, a procura constante da verdade a respeito dos fatos e das situações que se apresentam ao nosso julgamento sério e isento, sem o que o homem se arrisca a abdicar das próprias idéias em favor de cooptações externas.
.
Já se disse que a Maçonaria ensina a pensar, isto é, a procurar a origem dos acontecimentos e das situações, a verificar o caráter daqueles que investem contra nossas tradições em favor de modernidades passageiras, e assim achar o melhor caminho para prosseguir no trabalho árduo e fatigante, mas que nos traz a recompensa de estarmos lidando com o culto da verdade.
 
Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral

quarta-feira, 22 de junho de 2011

17 DE JUNHO: DATA DE CELEBRAÇÃO

O GOB - Grande Oriente do Brasil - fez  aniversário nesse último dia 17, vez que este foi oficialmente fundado no dia 17 de junho de 1822 sob o nome, na época, de Grande Oriente Brasílico.
 
Em homenagem a esta data especial para todos que compõem o GOB, o Grão-Mestre Geral, Marcos José da Silva, escreveu o belíssimo artigo "Data de celebração" o qual vale a pena ser lido e aqui apresentado.
 
Eis o texto em sua íntegra:
 
DATA DE CELEBRAÇÃO
 
A Ordem Maçônica comemora hoje mais um aniversário do Grande Oriente do Brasil, criado há 189 anos com a primeira reunião dos representantes das três Lojas fundadoras – Comércio e Artes, Esperança de Niterói e União e Tranquilidade – quando foi aclamado Grão-Mestre o Irmão José Bonifácio de Andrada, então Ministro do Reino.
.
Durante estes quase dois séculos, o Grande Oriente do Brasil tem sofrido grandes transformações, que fazem dele, hoje, a maior potência maçônica do mundo latino com decisiva participação na evolução política do Brasil e dona de um patrimônio moral inexcedível, graças á sua postura permanente de aperfeiçoamento dos costumes, de disseminadora da fraternidade humana e de exemplo de união interna.
.
Dia de comemorações, a data convida também à meditação sobre os resultados da ação maçônica bem orientada, com objetivos voltados para as grandes causas nacionais, para os mais sagrados direitos do nosso povo e para a consolidação da Obra Magna, o que procuramos sob os auspícios do Grande Arquiteto do universo.
.
Nas ocasiões de recolhimento, os Maçons do GOB, rememorando os embates entre o homem profano e o Homem Maçom, reconhecerá as sucessivas vitórias dos princípios espirituais que formam a grande corrente do bem, contrapondo-se às fortes tendências negativistas, agressivas e destrutivas, responsáveis pelos momentos mais sofridos, mais trágicos do gênero humano.
.
É justamente esse grande compromisso com a humanidade que tem impedido maiores danos à Maçonaria Universal, em sua história de muitos séculos, pontilhada, sem dúvida, de ataques externos e internos, cruentos e incruentos, mas todos resultantes do atraso e do erro, que sobreviverão enquanto não atingirmos o todo o aperfeiçoamento.
.
O Grande Oriente do Brasil, fiel às mais puras tradições da Ordem, e aqui personalizado pelos três poderes de Montesquieu, exerce com a maior exaltação possível sua capacidade de convivência fraterna, todos empenhados no mesmo desiderato de tornar feliz a humanidade. No dia de hoje, embora festivo, estamos todos empenhados no trabalho administrativo, em oferecer ótimas condições materiais para que o Poder Legislativo possa exercer com prontidão, amanhã mesmo, as altas funções que a Constituição lhe atribui.
.
Que o Supremo Árbitro dos Mundos, em sua onipotência assegure à Ordem Maçônica o cabal coroamento de todos os seus objetivos e guie os passos de todos os obreiros do Grande Oriente do Brasil.
 
17.06.11
Marcos José da SilvaGrão-Mestre Geral

sexta-feira, 17 de junho de 2011

AOS NOVOS VENERÁVEIS

Nos últimos dias do mês de maio do corrente ano o Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Marcos José da Silva, levou sua palavra amiga e de orientação aos irmãos que, neste tempo, recebem/receberam a missão de comandar as lojas Simbólicas pelo Brasil na qualidade de Veneráveis.

Eis o artigo em sua íntegra:   

AOS NOVOS VENERÁVEIS

Aproxima-se o momento em que novos veneráveis vão assumir seus mandatos nas Lojas Simbólicas em toda a extensão do governo do Grande Oriente do Brasil, evento que exalta o justo orgulho dos maçons filiados a essa nobre Instituição que tantos e tão grandes feitos realizou, gloriosamente, na História do Brasil e em benefício do nosso povo.

O Irmão que assume a presidência de uma Loja deve meditar sobre a alta responsabilidade que se atribui, pois que a ele os Irmãos confiaram o futuro da oficina durante o tempo que durar o seu mandato. E o futuro da Loja é o futuro dos seus Obreiros, o futuro de seus Aprendizes e Companheiros o futuro da própria Ordem.

A preparação do Aprendiz para ser Maçom é a preparação para ser um Mestre Maçom num futuro imediato e, em seguida, um Venerável-Mestre, um líder da Irmandade. Assim, o destino da Ordem está na dependência dos Veneráveis-Mestres de hoje não só de fazerem maçons, mas forjarem aqueles Maçons aos quais serão entregues, no futuro, todos os interesses da Maçonaria.

O homem comum que procura a Maçonaria e deseja ingressar, está interessado, de alguma forma, em ser útil à sociedade humana, ou em aperfeiçoar seu intelecto ou seu espírito, em aprender a melhor forma de convivência com a família e com seu ambiente. As informações que lhes chegaram aos ouvidos sobre a Sublime Instituição o induziram a procurar o verdadeiro caminho da virtude.

Nesse homem já começou “o porfiado combate” interno, quando os princípios superiores começaram a vencer as paixões, a aprimorar a vontade, a almejar o progresso da alma para chegar a ser elemento útil ao gênero humano, à Pátria, à Ordem, à família e a si mesmo. Cabe aos Veneráveis, e mesmo aos demais Mestres, receberem-no como a uma criança que está descobrindo o mundo e prepará-lo para servir ao mundo.

A Loja é o princípio de tudo para o Maçom consciente e desprovido de interesses subalternos. A Loja está entregue, por decisão coletiva, aos cuidados do Venerável Mestre. Que o Grande Arquiteto do Universo, em seus altos desígnios, possa ouvir as súplicas deste humilde Grão-Mestre Geral em favor desses Irmãos prestes a enfrentarem tão graves compromissos.

Brasília, 24.05.2010.

Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral

Fonte: gob.org.br

INCRIÇÕES PARA O SISU SEGUEM ATÉ DOMINGO

Continuam abertas até as 23:59 hs de domingo (19) as inscrições para a quarta edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Criada pelo Ministério da Educação (MEC) no ano passado, a ferramenta unifica a oferta de vagas em instituições públicas de ensino superior. Para o primeiro semestre de 2011, são oferecidas 26 mil vagas em 48 instituições. Podem participar estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010.

Os candidatos interessados devem acessar o site e escolher duas opções de curso, elegendo sua prioridade.

Ao fim de cada dia, o sistema divulga a nota de corte para cada graduação. O estudante pode mudar de opção se concluir que tem mais chance de ser aprovado em outra instituição ou em outro curso. A previsão é que a lista dos estudantes selecionados em primeira chamada pelo Sisu seja divulgada no dia 22 de junho.

CLIQUE AQUI para acessar.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

POR QUE AS PESSOAS ENTRAM E PERMANECEM MEMBROS?

As pessoas transformam-se em maçons por uma infinidade de razões, algumas como o resultado da tradição da família, outras por convite de um amigo e outras por uma curiosidade em saber o que é maçonaria.

Aqueles que se transformam membros ativos e que crescem na maçonaria, principalmente porque a apreciam. Apreciam os desafios que a maçonaria os oferece. Há, entretanto, mais do que apenas a apreciação.

A participação na apresentação dramática de lições morais e no funcionamento de uma loja fornece ao membro uma oportunidade original de aprender mais sobre si mesmo e incentiva-o a viver de tal maneira que estará sempre em busca de se transformar em um homem melhor, nao melhor do que alguma outra pessoa mas melhor do que ele mesmo seria e conseqüentemente um membro exemplar da sociedade.

A cada maçom é necessário aprender e mostrar a humildade com a iniciação. Então, pela progressão com uma série dos graus ganha a introspecção em conceitos morais e filosóficos cada vez mais complexos, e aceita uma variedade de desafios e das responsabilidades que são estimuladas e recompensadas.

O trabalho em loja e a seqüência dos eventos cerimoniais, são seguidos geralmente por busca da oferta dos membros pelo desenvolvimento do caráter e pela apreciação de experiências sociais compartilhadas.

Ari Paes Corrêa Júnior
Mestre Instalado

Fonte: construtoresdavirtude.com.br

terça-feira, 14 de junho de 2011

POSSE DO GRÃO-MESTRE


Nesse dia 18/06 (sábado), será a posse do Ir.: Miguel Rogério de Melo Gurgel como Grão-Mestre do GOB/RN.

A posse será realizada na capital do Estado, Natal, às 17:00 horas, na Poderosa Assembléia Estadual Legislativa Maçônica, situada  no Edifício 21 de Março, Cidade Alta, Natal/RN.

Já a transmissão do Cargo se dará às 20:00 horas no Imirá Plaza Hotel, situado na Via Costeira de Natal.

Todos os maçons, em ambos os momentos, tanto à tarde quanto à noite, deverão está suando vestimenta maçônica (terno).

Para os interessados, haverá transporte (ônibus) Mossoró/Natal com saída às 12:00 horas (meio-dia) do dia 18/06 (Sábado) das dependências da Loja Jerônimo Rosado. O valor da passagem será de R$ 50,00 (cinquenta reais). Para hospedagem no Imirá Plaza Hotel, as diárias são: Quarto duplo R$ 150,00 (cento e cinquenta reais); triplo, R$ 195,00 (cento e noventa e cinco reais) e quádruplo, R$ 240 (duzentos e quarenta reais).

Obs.: no ato da reserva que deverá ser feita com Eimar até meio-dia de quinta-feira (16/06), os interessados deverão antecipar 50% do valor da(s) diária(s).

Contato pelos telefones: (84) 3318-2894/9159-3757

Nota do blog: Parabenizamos o Ir.: Miguel Rogério pela conquista e desejamos sucesso nessa nova empreitada. Que o GADU o cubra de bênçãos e paz. 

VACINAÇÃO CONTRA PARALISIA INFANTIL COMEÇA DIA 18


A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) inicia, no sábado (18), a primeira etapa de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. Todas as crianças menores de cinco anos devem tomar as duas gotinhas para prevenir a paralisia infantil. A segunda fase começa no dia 13 de agosto. Nesta data, os pais ou responsáveis devem levar as crianças novamente aos postos de vacinação, para que elas recebam mais duas gotinhas contra a pólio.

Este ano a campanha tem como tema "Siga o Zé Gotinha e proteja a saúde das crianças". No Rio Grande do Norte cerca de 370 mil doses estarão disponíveis para uma população na faixa etária de 0 a 4 anos estimada em 241.152 crianças. Segundo Helena Santanna, coordenadora de Imunização da Sesap, a meta é alcançar, em todos os municípios, 95% dessa população.

A Sesap orienta aos pais que é importante levar a carteira de vacinação das crianças, para atualização das doses aplicadas. O número de postos fixos de vacinação no Estado é de 917, enquanto que os postos de vacinação móveis chegam a 715; o número de pessoas envolvidas na ação é de 8.149. 

VACINAÇÃO CONTRA SARAMPO
Em 2011, a campanha de vacinação contra a poliomielite terá uma novidade. No início da primeira etapa, em 18 de junho, além das duas gotinhas contra a paralisia infantil, municípios de oitos estados também vão vacinar crianças contra sarampo: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Ceará e Alagoas.

Os municípios das demais unidades da federação, que é o caso do Rio Grande do Norte, vão vacinar as crianças dessa faixa etária contra o sarampo no dia 13 de agosto (começo da segunda etapa de vacinação contra a pólio). 

As vacinas contra pólio e sarampo são oferecidas gratuitamente pelo SUS e estão disponíveis durante todo o ano, nos postos de saúde, para a imunização de rotina. Mas é fundamental levar as crianças às campanhas de vacinação, porque elas reforçam a proteção da saúde delas.

Fonte: rn.gov.br/Assessoria Sesap

GOVERNO PAGARÁ PARCELA DO 13º


Em meio a desilusões e notícias ruins, enfim uma boa nova para os servidores estaduais.

O Governo Rosa(do) pagará no próximo dia 20 a parcela de 40% do 13º salário.

Fonte: Tribuna do Norte

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O MAÇOM CONSCIENTE

Cuidado muito especial devem ter os Veneráveis-Mestres com a formação do Maçom do Grande Oriente do Brasil, para que cada um possa ser, no futuro, um verdadeiro Iniciado Maçom na mais alta acepção do termo, isto é, no sentido de quem ascendeu da categoria de homem comum à de benfeitor da sociedade.

E isso implica, principalmente, a compreensão da necessidade de união pétrea dentro da ordem e da unidade da Ordem; na visão da Maçonaria como organismo vivo que, embora perca, regularmente, suas células, está sempre a renová-las, constantemente trazendo para o âmbito de sua influência, novos “corações sensíveis ao bem”.

O esmerado estudo dos rituais, e a meditação profunda no que está expresso ou Implícito acerca do desenvolvimento do espírito e do engrandecimento da alma, a fonte da virtude, são os instrumentos essenciais do Iniciado que pretende atingir a excelência dessa condição, tão bem representada em nosso simbolismo.

Além de tudo, exija-se do Obreiro o perfeito conhecimento do sistema de leis do Grande Oriente do Brasil - a Constituição, o Regulamento Geral da Federação, as leis ordinárias em vigor, os atos normativos do seu funcionamento, etc. – de modo a que todo Maçom tenha plena consciência do seu papel, seus deveres e seus direitos perante a Potência federativa.

A fim de que surpresas e decepções sejam evitadas, o Maçom deve ter a noção exata dos seus direitos maçônicos, dos limites dos mandatários da Ordem, da autonomia das Lojas e dos Grandes Orientes Estaduais e do Distrito Federal, e da Soberania indiscutível do Governo Federal dentro da estrutura constitucional do Grande Oriente do Brasil.

Estamos sinceramente confiante de que os Veneráveis-Mestres empossados neste mês de junho de 2011, saberão honrar os compromissos assumidos com suas Lojas e com a Nobre Instituição e os juramentos perante o Grande Arquiteto do Universo, o Qual orienta a caminhada dos Maçons através dos séculos.

10.06.2011

Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral





Fonte: gob.com.br

CONSELHO FEDERAL DO GOB REALIZA SESSÃO HISTÓRICA NO PALÁCIO DO LAVRADIO NO RIO DE JANEIRO

Na manhã de sexta-feira, dia 10 de junho de 2011, o Conselho Federal do GOB realizou uma sessão histórica no Templo Nobre do Palácio do Lavradio no Rio de Janeiro, presidida pelo Sapientíssimo Irmão Cláudio Roque Buono Ferreira e contou com a presença de 26 (vinte e seis) Conselheiros, com o Grão-Mestre do Estado do Rio de Janeiro, Eminente Irmão Eduardo Gomes de Souza e diversas outras autoridades maçônicas.


Na abertura dos trabalhos o Presidente do Conselho Federal deu boas-vindas aos presentes e solicitou ao Poderoso Irmão Derval Costa, Decano do Conselho Federal, que evocasse uma prece ao Grande Arquiteto do Universo.
.
Após a aprovação da ata da sessão anterior o Sapientíssimo Mestre solicitou ao Eminente Irmão Ruy Ferreira Borges, vice-presidente do Conselho Federal, que procedesse a posse do Poderoso Irmão Edvaldo Ferreira da Silva como Conselheiro Federal.


O presidente da Comissão dos Normativos do GOB, Poderoso Irmão Lindemberg Castorino da Costa apresentou o relatório da Consolidação de Leis, Decretos, Atos, Portarias, Mensagens e Circulares do GOB, referente ao período de janeiro de 1930 até 1974.
.
O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Poderoso Irmão Raymundo Regner, apresentou um relatório dos trabalhos de revisão das Constituições Estaduais que visou adequá-las à Constituição do GOB, naquilo que esteja divergente.
.
O Conselho Federal, nesta sessão, analisou 27 (vinte e sete) processos de alteração e revisão de estatutos, 02 (dois) balanços do GOB dos meses de março e abril de 2011 e 3 (três) processos de Garante de Amizade.


Diversos Conselheiros usaram da palavra franqueada, sendo o que mereceu maior destaque foi o trabalho elaborado pelo Poderoso Irmão Duarte Pacheco, que dissertou acerca da vida de Ruy Cardoso de Mello Tucunduva, Conselheiro Federal recentemente falecido.
.
No encerramento da Sessão o Sapientíssimo Irmão Cláudio Roque Buono Ferreira concedeu a palavra ao Grão-Mestre do Rio de Janeiro, que fez uma explanação acerca do Palácio do Lavradio e do trabalho que está fora realizado pelo GOB para a sua revitalização/restauração, e encerrou os trabalhos falando do momento histórico da realização desta sessão, agradeceu a presença de todos e desejou um Feliza retorno aos seus lares com as bençãos do Grande Arquiteto do Universo, extensivos a seus familiares, lembrou que a próxima reunião do Conselho Federal será no dia 05 de agosto de 2011, sexta-feira, às 14 horas.



Fonte: gob.com.br

sábado, 11 de junho de 2011

O HOMEM E A LIBERDADE DO HOMEM

Porque habituados com as regras do encarceramento, mesmo na sociedade livre, e ainda que aprendam a obedecer sem as ameaças do chicote, os escravos permanecem escravos, porque na escravidão eles já estavam acostumados com ela e não se rebelavam contra a restrição em razão do seu arraigado espírito de servidão.

A verdadeira Liberdade, num contexto maior, não é só a liberdade física nem a liberdade política, mas também aquela que constituiu o ideal da Revolução Francesa e se tornou o dístico da Bandeira dos Inconfidentes, cujo movimento buscava ainda a Liberdade de pensamento, para que o Homem pudesse cultivar todas as suas potencialidades positivas de modo que sua personalidade pudesse se alicerçar e se projetar em todas as dimensões. Em países sufocados pelo fanatismo religioso, o destino das pessoas é pior do que a morte.

Enfim, é a que se confunde com um estado de consciência que vai desencadear nos aspectos culturais, sociais, religiosos e espirituais do povo, o seu bem maior depois da vida.

      O estudo do tema sobre o Homem e a Liberdade sugere o repensamento do proceder humano, pois a exacerbação hoje em dia, do fanatismo, da tirania, da injustiça, da miséria e da violência, mostra como precisamos de homens cuja mensagem infatigável seja a defesa do direito à justiça e à eqüidade, do direito ao desenvolvimento e ao bem-estar, do direito à paz. Esta, a sublime missão de quem tem o dever de velar pela paz e harmonia entre os homens!

Nota: Na elaboração deste trabalho buscou-se informações em várias fontes, daí serem de diversos pensadores muitas das idéias apresentadas. A eles nossas homenagens.

Liberdade! O que é a Liberdade? Ela é sentimento comum a todos os homens? Tem a mesma dimensão em todas as culturas? E nas ditaduras, o que ela significa para os oprimidos que nunca a tiveram? Qual seria o seu valor para quem já a teve e a perdeu pelo jugo dos tiranos? A Liberdade é somente do corpo ou é também do espírito? Para que o Homem seja efetivamente livre é preciso que ele esteja liberto das amarras da servidão, seja física, política, religiosa, cultural ou da própria consciência? Ou a Liberdade é algo maior, que leva o Homem que a perdeu a lutar por ela e até a morrer para reconquistá-la?

      O homem livre é o que não deve satisfação a ninguém nem está sujeito a restrições da lei, ou é o que não está algemado, nem encarcerado, nem aterrorizado como o transgressor em face do iminente castigo? Ou ainda, é quando não está impedido de fazer aquilo que deseja porque não há lei que o constrange? Será que é livre o homem que não sofre coação, mas vive sem segurança e não consegue emprego para o seu sustento? Afinal, Liberdade é razão, inspiração ou direito, segundo o seu significado em filosofia, arte ou política. O amor a ela pode fazer os homens indomáveis e os povos invencíveis. Falando sobre a Liberdade política, o Presidente George Bush afirmou que o poderio da América está numa idéia vibrante, porém simples: Que o povo é capaz de grandes feitos quando se lhes dá liberdade.

      Entre nós, a doutrina que a Escola Superior de Guerra divulga afirma a condição de liberdade plena do homem, grandeza inerente à dimensão de seu espírito. Foi exatamente essa doutrina que impediu o Brasil de incorrer no grande equívoco marxista-leninista, dramático pesadelo do qual recentemente despertou o leste europeu aturdido e envergonhado. E a principal conclusão desse episódio turbulento é que não há força capaz de segurar a ânsia de liberdade individual do ser humano, nem de liberdade coletiva dos povos e nações.

A resposta a essas indagações induz à busca do significado da palavra Liberdade, para então se estabelecer o seu verdadeiro conceito segundo os valores da cultura ocidental, e examinar alguns fenômenos relacionados com a capacidade dos homens de serem livres.

      Um deles traz a idéia de que a Liberdade é a soberania do homem sobre si mesmo, podendo agir livremente fazendo o que a lei não veda e a moral e os bons costumes não condenam, de modo a não ultrapassar a linha que divide esses direitos dos direitos de outrem. A cegueira dos radicais e dos fanáticos impede-os de conhecerem essas divisas.

      Castro Alves, ao cantar a Liberdade, disse que “A praça é do povo, como o céu é do condor”. E a ONU ao se referir à Liberdade na Declaração dos Direitos dos Povos, proclamou que “os povos não são propriedade de ninguém”. Assim, a Liberdade tal como é conhecida na América, é o consenso de um povo livre, manifestando-se livremente.

      Mas a liberdade não é só a do corpo, bem diferente da do espírito, pois só avaliamos a liberdade do corpo quando a perdemos; e a do espírito, somente quando a conquistamos.

      Enfim, a Liberdade parece ser um sentimento que não se sabe de onde veio nem como defini-lo, pois apenas pode ser demonstrado. Nesse plano de idéias, vale a observação de Victor Hugo, de que a Liberdade tem as suas raízes no coração do povo, como as tem a árvore no coração da terra; e como a árvore, estende os seus ramos pelo espaço, desenvolve-se sem cessar e cobre as gerações com a sua sombra benfazeja.

      Para alguns, a Liberdade consiste em se fazer apenas o que devemos e não, tudo o que queremos. Ela é como a saúde, que só quando nos falta é que lhe damos o justo valor. Outros acham que as grades de uma prisão constituem a linha divisória entre a liberdade e a servidão, pura e simplesmente, sem qualquer outra conotação. Mas há outros que mesmo sem liberdade aceitam as condições da sociedade em que vivem, pois não mais se incomodam com os guardas, se conformam com as restrições impostas e levam uma segura e até normal existência dentro das normas gerais de seu encarceramento.

      Sem dúvida que homens assim não adquirem a liberdade pelo simples livramento. Normalmente, fora da “prisão” se tornam desajustados porque perderam o referencial do regulamento prisional a cuja observância já estavam habituados.

      Daí, o entendimento de que não se liberta um escravo apenas com uma carta de alforria, porque acostumado a obedecer e a servir, ele agirá durante muitos anos ou talvez por toda a vida, como se ainda fosse escravo. É o caso dos cidadãos que nasceram e viveram sob o jugo dos seus tiranos governantes sem conhecer a Liberdade!

      A libertação dos negros é mais retórica do que real, pois a cultura escravista ainda hoje não sabe conviver com liberdade, pois os escravos só conheceram a coerção.

      Assim, a Lei Áurea ainda é uma ilusão para a população negra do Brasil, que vive em sua maioria em condições de pobreza igual ou pior à que ostentavam há um século, que continua sem educação, sem teto, sem alimentação, e que fornece 80% ou mais da população penitenciária ou das vítimas da repressão policial.

      Aspectos da Liberdade – psicossociais, políticos e econômicos:

      - No nível do sentir: liberdade de crença, liberdade de expressão, liberdade individual;

      - no nível do pensar: liberdade de opinião;

      - no nível do agir: livre iniciativa.

A liberdade de pensamento e também a de manifestação da opinião pessoal, é um dos pilares do sistema democrático, visto seu papel insubstituível na formação de opinião pública e na construção de convicções individuais.

      Enfim, a liberdade pressupõe a capacidade do agente para praticar a coisa que tem vontade, pelo modo como tem vontade e quando tem a possibilidade disso.

      É certo que esta Liberdade se dirige no sentido de não se tolher o homem de fazer o que a sua vontade e a sua consciência liberta determinam, mas o seu conceito não se resolve apenas com a simples negação de restrições externas.

      Liberdade que significa ausência de qualquer obediência, qualquer limitação e de qualquer governo, será a anarquia total, o pisoteio do mais forte sobre o mais fraco, o abuso do poderoso sobre o humilde, a vitória da desordem sobre o equilíbrio.

      Sobre a Liberdade, disse Clóvis Bevilacqua: “Creio na Liberdade, porque a marcha da civilização, do ponto de vista jurídico-político, se exprime por sucessivas emancipações do indivíduo, das classes, dos povos e da inteligência, demonstrando ser ela altíssimo ideal, pois somos impelidos por uma força imanente nos agrupamentos humanos, consistente na aspiração do melhor que a coletividade obtém estimulando energias psíquicas do indivíduo. Mas a Liberdade há de ser disciplinada pelo Direito para não perturbar a paz social”.

      Sobre o tema, vários pensadores já disseram que a Liberdade foi sempre o fundamento e a meta de toda a organização política e social da América, pois é a mais nobre característica da civilização americana como o consenso de um povo livre, manifestando-se livremente.

      Sendo assim, a Liberdade individual é área em que o Estado jamais poderá penetrar, nem pelo brilho do ouro, nem pela força das armas, pois se trata de fortaleza intransponível da convicção do homem livre de que ela é o mais precioso dom da natureza inteligente.

      As algemas e as grades de uma prisão podem contribuir para a incapacidade de ir e vir, mas não são suficientes para descrever ou explicar o fenômeno da liberdade do indivíduo livre delas.

      Enfim, homem livre é aquele com capacidade de agir e de fazer outros agirem.

O anseio de liberdade leva os cidadãos de um país a tomarem das armas em rebelião, cujas ações visam o direito de resistir ao uso ilegítimo do poder.

      Tem-se a impressão de que a verdadeira Liberdade, num sentido figurado, não é somente tirar do Homem as “algemas” da vida e dizer-lhe que está totalmente livre doravante.

Parece que para se ser efetivamente livre é preciso que o Homem queira ser livre e esteja liberto das amarras da servidão, seja física, política, religiosa, cultural, ou da consciência, já que a liberdade do indivíduo não se destrói pela coerção, nem a restrição em si mesma torna uma sociedade tolhida de liberdade. Assim, um paciente acometido de neurose de coação pode ser mais livre no asilo do que fora dele, daí a noção de que a liberdade não é mensurável pela severidade ou frouxidão do regulamento, mas sim pelos seus objetivos.

      Homem livre é o que quer ser livre, luta por isso e não fica esperando favores de outrem para sobreviver, segundo as regras do convívio social do meio em que está inserido.

      Enfim, a Liberdade e o direito de ser livre não podem ser figuras de retórica, mas um estado social no qual o Homem mesmo amordaçado ou distante, permanece fiel ao que ele mais acredita e no pleno juízo de sua consciência, de forma integral, física, moral, cultural e espiritual.

      De qualquer forma, qualquer que seja sua definição, a Liberdade não é uma condição simples, pois ela depende da ordem social, das crenças dos homens acerca de si mesmos e de seu lugar no universo. Sobre o extremismo cerceador da liberdade, já foi dito que existem destinos piores do que a morte em países sufocados pelo fanatismo religioso.

      Segundo Thomas Hobbes, homem livre é “aquele que não é impedido de fazer o que tem vontade no que se refere às coisas que pode fazer por sua força e capacidade”, estando nesse conceito a conjugação da vontade do homem, com a ausência de qualquer constrangimento que o impossibilite de realizar essa vontade.

      Para o entendimento do que seja Liberdade, necessário se torna saber em que medida as circunstâncias da ação humana caracterizam efetivamente um constrangimento que impeça o homem de fazer o que tem vontade. Se a ação for restritiva, não é possível a liberdade.

      De dois tipos são os constrangimentos a que o homem está sujeito: o constrangimento físico e o constrangimento moral ou psicológico. O constrangimento físico impede o homem de ir e vir. Já o constrangimento moral é passível de superação por um esforço da vontade.

      Uma outra concepção de liberdade se traduz pela capacidade de autodeterminação, intrínseca ao homem e que persiste ainda que em condições adversas.

A idéia de liberdade interior corresponde à limitação da liberdade do indivíduo pelo próprio indivíduo. E não depende das circunstâncias, mas só das qualidades morais do indivíduo.

      A verdadeira liberdade decorre de um condicionamento da vontade que só poderia se inclinar para o que fosse bom e justo. Daí, a idéia de que a liberdade interior corresponde à limitação da liberdade do indivíduo pelo próprio indivíduo, que se compele a reprimir os impulsos oriundos de desejos que não se coadunem com uma determinada norma de ação, aceita como valor maior em favor daqueles que, estando em conformidade com a moral e a razão, seriam os credenciados como contributos da vontade.

      Mas a Liberdade sonhada pode ser como a descrita no artigo final do Os Estatutos do Homem, de Thiago de Mello: “...A partir deste instante a Liberdade será algo vivo e transparente como um fogo ou um rio, ou como a semente do trigo, e a sua morada será sempre o coração do homem”.

Ir.`. Juvenal Antunes Pereira

Fonte: comunidademaconica.com.br

terça-feira, 7 de junho de 2011

O DESPERTAR DA VIDA MAÇÔNICA

É vedado ao Maçom escrever, gravar, traçar ou imprimir informações que comprometam a essência filosófica da Ordem.

Obviamente, não defendemos que o indivíduo apregoe aos quatro ventos a condição de pertencer à Maçonaria e, sim, que ele se orgulhe de defender essa condição, desmistificando tabus que ainda pairam sobre nossa Sublime Instituição.

Deus - é o ser infinito, o homem o ser finito; Deus é perfeito, o homem imperfeito; Deus é eterno, o homem temporal; Deus é onipotente, o homem impotente; Deus é santo, o homem pecador.

A crença na existência de uma força superior é o que se exige de todo o homem antes de ser admitido na Ordem, porém, ele deve ter e professar uma religião, seja qual for antes de sua Iniciação.

A Maçonaria, sob o ensino moral, pode abrigar todo os cultos, por mais diferentes que sejam as suas crenças. Pioneira na tentativa de se formar uma Irmandade ecumênica de pessoas de todas as religiões.

Essa disposição à convivência e diálogo com outras confissões religiosas, sempre foi o aspecto mais perturbador para os líderes das religiões tradicionais.

Reflexão – Quando falamos de religião, na filosofia moderna ocidental, evidentemente nos referimos, quase sempre, ao cristianismo.  Constatamos, nos tempos modernos, muitas e diferentes concepções de religião, algumas contraditórias, outras semelhantes.  Nesta diversidade é difícil encontrar uma concepção comum, pois muitas vezes os diferentes pontos de vista são incompatíveis entre si. Sendo o homem o começo, o centro, o homem é o fim da religião. A religião funda-se na diferença essencial entre homem e animal, pois os animais não têm religião. Entretanto o essencial do homem é a consciência. Para afirmar o homem, não é preciso negar a Deus, pois, na verdade, é impossível ser amigo de Deus sem sê-lo dos homens. Criticam-se as religiões que não dão a devida importância à vida presente, pondo toda a esperança de libertação no céu.  Por isso o homem religioso não se compromete com a mudança e transformação, com a injustiça, o sofrimento e a miséria deste mundo. A religião pode nos levar a aceitar todas essas coisas resignadamente sem lutar contra elas, projetando nossa felicidade no outro mundo. Permanece, porém, a esperança no futuro, na justiça e não na injustiça, na verdade e não na mentira, libertando-nos da angústia e enchendo-nos de coragem.

Quando a vida celestial é uma verdade, é a vida terrena uma mentira, quando a fantasia é tudo, a realidade não é nada. Quem crê numa vida celestial eterna, para ele esta vida perde o seu valor. Ou antes, já perdeu o seu valor: a crença na vida celestial é exatamente a crença na nulidade e imprestabilidade desta vida. Na verdade, contudo, nada indica o fim da fé em Deus e da religião.

Enfim, se é difícil crer em Deus, mais difícil, porém, é viver sem ELE. Por enquanto busquemos a felicidade aqui mesmo, neste “vale de lágrimas”, acima dos preconceitos, das exclusões, das tradições religiosas.

A Maçonaria - é uma comunhão de homens livres e de bons costumes, escolhidos entre aqueles que, a par de boas referências, tenham instrução suficiente para compreender e praticar os ensinamentos maçônicos e seus métodos de MORAL em movimento velados por símbolos e alegorias tradicionais. É uma escola de aperfeiçoamento pessoal e social, disseminada em Lojas pelo mundo. Pratica a fraternidade, o amor ao próximo, constitui um modelo de Paz Universal, Justiça e Igualdade. O reino da Tolerância, no sentido de respeito a todas as crenças fundadas em Códigos de Moral ou em idéias pacíficas que visem à Felicidade Geral da Humanidade, à Fraternidade Universal.  É o sustentáculo dos deveres para com a Pátria, a Família e a Sociedade.      

É uma comunhão de indivíduos civilmente capazes e de exemplar comportamento, de qualquer raça, nacionalidade, credo religioso e de condição social. É uma união de homens de boa vontade, capazes de compreender que em todas as crenças há idéias comuns que podem constituir o cimento da Fraternidade Universal. É o corredor iluminado de todas as Filosofias. Investiga a Verdade e o desenvolvimento das Ciências e das Artes. Prima pela Harmonia, não permite discussões de caráter político-partidário ou de religião ou filosofia sectária de idéias que possam ferir os ditames de consciência de cada associado. E ainda que exija do candidato à Iniciação e dos próprios Maçons que tenham consciência, e não a simples crença aleatória, de existir um princípio criador, Deus, Construtor dos Mundos, o Grande ou Supremo Arquiteto do Universo, ou qualquer outro nome que a humanidade concedeu ao Grande Geômetra – Aquele que É, Foi e Será.

Filho da Luz - O Maçom faz jus a denominação de FILHO DA LUZ. Os verdadeiros segredos da Maçonaria são aqueles que não se dizem ao adepto e que ele deve aprender a conhecer pouco a pouco soletrando os símbolos. Cabe ao neófito descobrir o segredo. Dentro da noite das nossas consciências, há uma centelha que nos basta atiçar para transformá-la em luz esplêndida. A busca desta Luz é a Iniciação.

Maçom nato – É comum no meio maçônico dizer que determinada pessoa sempre fora Maçom, mesmo antes de ter-se Iniciado. Isto porque tal indivíduo é detentor de qualidades e virtudes características de um verdadeiro Maçom. Se dele advém boas coisas, atitudes corretas, gestos edificantes, ele é como uma boa árvore que produz bons frutos. Se for o contrário, se seu caráter for falho, por mais que tente mascarar sua personalidade, não conseguirá: é uma árvore ruim, que produz frutos ruins. O que a pessoa é na realidade paira sobre sua cabeça, e brada tão alto que é impossível ouvir sua voz dizendo o contrário numa vã tentativa de ludibriar os outros.

A Igualdade maçônica – Ao analisarmos o que se pratica habitualmente em Maçonaria encontramos vestígios da Igualdade permeando todo o tecido orgânico maçônico, sob o amparo da Tolerância.  Começando pelo tratamento fraterno – todos os Maçons são Irmãos – qualificação que confere aspecto importante da Igualdade maçônica, a IGUALDADE FRATERNAL, na qual expressamente, o Maçom, já na sua Iniciação, afirma o direito de proteger o Irmão em qualquer circunstância. Independentemente de seu grau maçônico e de sua condição de vida profana, trazendo consigo, por extensão, o conceito para seus familiares.

Tratar alguém de Irmão é tratar de igual para igual, é querer para ele o mesmo que desejamos para nós, mas é necessário que essa palavra “Irmão” saia do coração e seja real, sincera e fraterna.

Todos os Maçons se reconhecem como Irmãos quando no íntimo de seus corações sentem cair as barreiras ilusórias que dividem os homens e assim a Maçonaria terá efetivamente difundido sua Luz sobre a terra.
Existe a possibilidade de um dia, todos os homens se entenderem e encontrarem o caminho da verdadeira igualdade?

Sim. Segundo Jesus de Nazareth: “quando procurarem em primeiro lugar a Justiça e o resto vos será dado em abundância”. Quando pediram a Aristóteles um código moral por onde pautar a vida, ele disse: “Não posso dar-lhe um código; observe os homens melhores e mais sábios que você encontrar e imite-os”!

É gratificante pertencermos a uma Ordem que visa disseminar entre os povos algo da luz que ilumina o mundo. Cabe-nos empreender a missão de disseminar algo das leis do pensamento iluminador aos irmãos sedentos de luz e entendimento.

Afinal, quando descemos ao túmulo, porque é nele que o Rei depõe o seu Cetro, o Pontífice, a sua Tiara, o Rico, a sua opulência, o Pobre, a sua miséria, o Maçom, o seu Avental.
A Morte nos despoja de nossas honras, de nossa fortuna, de nossa glória, de nosso esplendor, de nossa grandeza. Não pode, porém, destruir nossa influência sobre o Bem e sobre o Mal, porque os efeitos e as consequências de nossos atos e de nossas palavras são eternos.

O caminho certo – Na Maçonaria, o Obreiro recebe os mais sagrados ensinamentos filosóficos para a prática da virtude, devendo o homem ser livre em seus pensamentos e ações, para exteriorizar o que realmente tem em seu coração, porém tudo de bom ou de mal que colher será produto de sua semeadura, por isso a felicidade está ao alcance de todos. Escolha o caminho certo...

Valdemar Sansão – M.’. M.’.
A.'.R.'.L.'.S.'. Arnaldo Alexandre Pereira - GLESP
Or.'. São Paulo - SP

Fonte: comunidademaconica.com.br

segunda-feira, 6 de junho de 2011

UTILIDADE PÚBLICA: JOVEM DESAPARECE NA CIDADE DE PILÕES, ALTO OESTE DO ESTADO DO RN

DESAPARECIDA
Ivaneuma Alves da Silva, 24 anos, vulgo "Delma".

Ivaneuma Alves Da Silva, conhecida como “Delma filha de Maria de Gato”, nascida no dia 28 de outubro de 1986, residente à Rua João Dias, Pilões/RN, foi vista pela última vez na Churrascaria Horizonte, na noite do dia 04 de junho de 2011, sábado, e até o presente momento a família da mesma não sabe seu paradeiro.

Familiares informaram ainda que já efetuaram várias ligações para o celular de Delma, mas ninguém atende ao aparelho.

Quem souber informações sobre o paradeiro de Ivaneuma Alves da Silva entrar em contato através dos telefones (84) 3384-0125 ou (84) 9925-2713, ambos da Delegacia de Polícia da cidade de Pilões/RN.

CRIANÇA DESAPARECE EM PAU DOS FERROS



Desde a tarde de sábado (05), a criança Francisco de Assis Gonçalves Júnior, conhecido como Júnior, 11 anos, residente no Bairro Manuel Deodato, está desaparecida.

Seus pais e amigos, desde a manhã de ontem, domingo, procuram informações sobre seu paradeiro da criança. A equipe de policiais da 4ª DRPC tambpem realizam diligências no intuito de localizá-la.

As primeiras informações dão conta que o menino estava se banhando nas águas do açude da Boa Vista, localizado próximo ao lixão de Pau dos Ferros/RN, e teria sido vítima de afogamento.

Policiais do Corpo de Bombeiros estiveram durante toda manhã desta segunda-feira (06) no referido açude em busca de encontrar o corpo, já que um adolescente disse ter visto o mesmo se afogar na tarde de ontem(05).

A família acredita que a criança esteja com vida.

No açude é grande o número de curiosos.

 
Fotos: NPRN
Fonte: Nosso Paraná

CASO F. GOMES: TJ NEGA HABEAS CORPUS A LAILSON LOPES


O desembargador Virgílio Fernandes de Macêdo Junior negou a concessão de habeas corpus com pedido de liminar a favor do comerciante Lailson Lopes, acusado de ser o mandante do assassinato do radialista F. Gomes. A decisão do desembargador foi tomada na manhã desta segunda-feira (6) e publicada no site do Tribunal de Justiça às 10h44.

O advogado que defende lailson Lopes, Antônio Carlos de Souza Oliveira, deu entrada com o pedido de habeas corpus na sexta-feira (3). O documento requereu a concessão de "habeas corpus com pedido de liminar, em favor de Lailson Lopes, face prisão preventiva decretada em desobediência aos pressupostos contidos no artigo 312 do Código de Processo Penal, devendo, pois, ser expedido alvará de soltura para que o paciente responda, em liberdade, todos os atos do presente feito até seu julgamento final".

O artigo 312 do CPP estabelece que "a prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria".

Fonte: Tribuna do Norte

sábado, 4 de junho de 2011

O PROCESSO FORMATIVO DO MAÇOM

Neste artigo o leitor vai encontrar valiosas informações para análise, especialmente aqueles que pretendem ou que sejam possíveis novos membros da Ordem.


Candidatos – Muitos Candidatos são iniciados em nossa Ordem sem os suficientes esclarecimentos sobre o que a Maçonaria realmente é e representa. Isso se deve, não raro, aos escrúpulos do proponente, temeroso em revelar algum segredo e, outras vezes, o seu próprio desconhecimento sobre o que pode ou não revelar.

A Loja – Hoje, o lugar onde os maçons se reúnem chama-se Loja e cada Loja tem características próprias. Algumas são mais filantrópicas, promovem atividades para arrecadar dinheiro e ajudam asilos, orfanatos e creches, outras Lojas têm um cunho mais político e seus membros gostam de analisar a situação do país nessa área, mas, enfatizamos, em Maçonaria não se permite discussão de política partidária. Todas as atividades visam melhorar a moral, o caráter e o comprometimento dos Irmãos para com o progresso da humanidade, não havendo nenhum ganho político ou financeiro em ser Maçom.

O Maçom – Verdadeiro homem de bem, cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. É bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus. Possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperar paga alguma; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte, e sacrifica sempre seus interesses à justiça.

Encontra satisfação nos benefícios que espalha, nos serviços que presta, no fazer ditosos os outros, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos.

Não alimenta orgulho, nem ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; perdoa e esquece as ofensas e só dos benefícios se lembra.

Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios nem evidenciá-los. Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las.

Não se envaidece da sua riqueza, nem das suas vantagens pessoais, usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos.

Se a Sociedade colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante o Criador do Universo; usa da sua autoridade para lhes levantar a moral e não para esmagá-los com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram.

Quando subordinado, de sua parte compreende os deveres da posição que ocupa e se empenha em cumpri-los conscienciosamente.

Finalmente, o verdadeiro Maçom respeita todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da natureza, como quer que seja respeitado os seus.

A Maçonaria - é a maior organização fraternal do mundo, com quase três milhões de membros nos Estados Unidos, mais de 700 mil membros na Grã-Bretanha e mais de um milhão no resto do mundo. Embora seja a firme crença em um Ser Supremo, condição sem a qual não será admitido na Ordem, que acolhe em seus quadros homens de todas as religiões e tem como tema central o comportamento moral, o auto-aperfeiçoamento constante e a dedicação à caridade, a Maçonaria não responde à acusações.  Não se importou por ter sido declarada ilegal por Adolf Hitler, Benito Mussolini e Francisco Franco.

Mesmo em nossa sociedade dominada pela mídia, que fatos são mais importantes do que matérias em jornais, em TV ou Internet, as críticas antimaçônicas permanecem não respondidas em razão da tradicional política da Maçonaria não responder aos ataques, mesmo disponibilizando notáveis conhecedores  de sua filosofia, história e ritualística que escolheram ser membros dela, com extrema facilidade poderiam refutar esses ataques.

Influência maçônica na história – Sem mencionarmos a Maçonaria Brasileira (objeto do próximo artigo), diremos que a Maçonaria estava presente na Revolução Americana, com membros como George Washington, Benjamim Franklin,  James  Monroe, Alexander Hamilton, Paul Revere, John Paul Jones e mesmo o marquês de Lafayette e Benedict Arnold. Outras revoluções, contra a Igreja e o Estado, foram lideradas por Maçons como Benito Juarez, Simon Bolívar, Giuseppe Garibaldi e Sam Houston (ajudado, em alguns casos pelos produtos de seu companheiro Maçom, Samuel Colt).

Reis e imperadores que fizeram o juramento maçônico incluem Eduardo VII, Eduardo VIII e George VI da Inglaterra, Frederico, o Grande, da Prússia, George I da Grécia, Haakon VII da Noruega, Stanislaw II da Polônia e até o rei Kamehameha V do Havaí. Além de Washington e Monroe, o rol maçônico de presidentes dos Estados Unidos inclui Andrew Jackson, James K. Polk, James Buchanan, Andrew Johnson, James A. Garfield, Theodore Roosevelt, William Howard Taft, Warren G. Harding, Franklin D. Roosevelt,  Harry S. Truman, Lyndon Johnson, Gerald Ford, o Irmão honorário Ronald Reagan (Irmão honorário) e Balak Obama.

A  Segunda Guerra Mundial foi travada pelos líderes maçônicos britânicos Sir Winston S. Churchill, o marechal-de-campo conde Alexander de Túnis, o marechal-de-campo Sir Claude Auchinlech,  o marechal lorde Newhall (Royal Air Force) e o general Sir Francis Wingate.

A Maçonaria americana estava bem representada pelos generais Mark Clark, Omar Bradley, George Marshall, Joseph Stillwell e Douglas Mac Arthur.

Também não havia sempre Maçons no mesmo lado. Napoleão comandou seus marechais Maçons Messena, Murat, Soult, Mac Donald e Ney contra os Maçons Kutuzov da Rússia, Blucher da Prússia e a causa de sua ruína, o duque de Wellington.

É difícil saber onde parar ao se enumerar a influência maçônica em todos os aspectos da vida ocidental nos últimos 292 anos, seja essa influência política, militar ou cultural. 

Em música, a Maçonaria aparece em toda a escala, desde William C. Handy, compositor do The St. Louis Blues, até John Philip Sousa, e de Gilbert e Sullivan, passando por Sibellius e Haydn até Wolfgang Amadeus Mozart, que, segundo alguns, foi assassinado por revelar segredos maçônicos em sua ópera A Flauta Mágica.

Os membros maçônicos do mundo literário incluem Sir Walter Scott, Robert Burns, Rudyard Kipling, Jonathan Suvift, Oscar Wilde, Oliver Goldsmith,  Mark Twain e Sir Arthur Conan Doyle (que nunca teria permitido que o livro anatimaçônico Jack the Ripper: The Final Solution de Stephen Knight fosse reescrito, como foi, em uma versão de filme de ficção, degradando a criação de Sir Arhur, Sherlock Homes, contra os Irmãos do próprio Sir  Arthur em Londres).

Maçonaria e Religião (Síntese) - Os requisitos religiosos da Maçonaria são bastante simples: a crença em um Ser Supremo e a inexistência de qualquer interferência, ou mesmo persuasão contra, a crença individual do Maçom. Pode-se afirmar com segurança que a Maçonaria não é uma religião por uma simples razão; em geral, os adeptos acreditam que seus credos religiosos estão completamente certos. Isso significa que eles acreditam que todos os outros credos são, ao menos até certo ponto, errados. A posição da Maçonaria é oposta, uma vez que admite que haja alguma verdade em todas as percepções humanas de Deus e declina de afirmar que qualquer crença em particular é perfeita.

Nosso dever - Atravessamos uma época de crise abrangendo todos os pontos de vista, mas principalmente no comportamento humano, onde prevalecem a violência, o egoísmo, a corrupção e a licenciosidade, resultando, conseqüentemente, em insegurança quanto ao futuro imediato e gerando simultaneamente ceticismo, desencanto e conformismo.

Conscientizando-nos de nossas responsabilidades, cabe-nos trabalhar por uma sociedade melhor, dentro dos princípios da Razão e da Justiça e para tanto se faz urgente selecionar candidatos de valor para as escolhas de futuros maçons capazes de lutar permanentemente contra aquilo que á abominável, contra o que escraviza e degenera. Eu vos afirmo que o mundo está repleto de homens bons, cultos, sensatos, preciosos, de valor. Que sejam bem-vindos à Maçonaria e à Ordem!.

Ir.`. Valdemar Sansão – M.’. M.’.
A.'.R.'.L.'.S.'.
Arnaldo Alexandre Pereira - GLESP
Or.'. São Paulo - SP
 

Fonte: comunidademaconica.com.br