segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

REFLEXÃO: HUMILDADE X ORGULHO


Você já deve ter ouvido muitas vezes a palavra humildade, não é mesmo?

Essa palavra é muito usada, mas nem todas as pessoas conseguem entender o seu verdadeiro significado.

O termo humildade vem de húmus, palavra de origem latina que quer dizer terra fértil, rica em nutrientes e preparada para receber a semente.

Assim, uma pessoa humilde está sempre disposta a aprender e deixar brotar no solo fértil da sua alma, a boa semente.

A verdadeira humildade é firme, segura, sóbria, e jamais compartilha com a hipocrisia ou com a pieguice.

A humildade é a mais nobre de todas as virtudes pois somente ela predispõe o seu portador, à sabedoria real.

O contrário de humildade é orgulho, porque o orgulhoso nega tudo o que a humildade defende.

O orgulhoso é soberbo, julga-se superior e esconde-se por trás da falsa humildade ou da tola vaidade.

Alguns exemplos talvez tornem mais claras as nossas reflexões.

Quando, por exemplo, uma pessoa humilde comete um erro, diz: "eu me equivoquei", pois sua intenção é de aprender, de crescer. Mas quando uma pessoa orgulhosa comete um erro, diz: "não foi minha culpa", porque se acha acima de qualquer suspeita.

A pessoa humilde trabalha mais que a orgulhosa e por essa razão tem mais tempo.
Uma pessoa orgulhosa está sempre "muito ocupada" para fazer o que é necessário. A pessoa humilde enfrenta qualquer dificuldade e sempre vence os problemas.

A pessoa orgulhosa dá desculpas, mas não dá conta das suas obrigações e pendências. Uma pessoa humilde se compromete e realiza.

Uma pessoa orgulhosa se acha perfeita. A pessoa humilde diz: "eu sou bom, porém não tão bom como eu gostaria de ser".

A pessoa humilde respeita aqueles que lhe são superiores e trata de aprender algo com todos. A orgulhosa resiste àqueles que lhe são superiores e trata de pôr-lhes defeitos.

O humilde sempre faz algo mais, além da sua obrigação. O orgulhoso não colabora, e sempre diz: "eu faço o meu trabalho".

Uma pessoa humilde diz: "deve haver uma maneira melhor para fazer isto, e eu vou descobrir". A pessoa orgulhosa afirma: "sempre fiz assim e não vou mudar meu estilo".

A pessoa humilde compartilha suas experiências com colegas e amigos, o orgulhoso as guarda para si mesmo, porque teme a concorrência.

A pessoa orgulhosa não aceita críticas, a humilde está sempre disposta a ouvir todas as opiniões e a reter as melhores.

Quem é humilde cresce sempre, quem é orgulhoso fica estagnado, iludido na falsa posição de superioridade.

O orgulhoso se diz céptico, por achar que não pode haver nada no universo que ele desconheça, o humilde reverencia ao criador, todos os dias, porque sabe que há muitas verdades que ainda desconhece.

Uma pessoa humilde defende as idéias que julga nobres, sem se importar de quem elas venham. A pessoa orgulhosa defende sempre suas idéias, não porque acredite nelas, mas porque são suas.

Enfim, como se pode perceber, o orgulho é grilhão que impede a evolução das criaturas, a humildade é chave que abre as portas da perfeição.

Pense nisso!

Você sabe por quê o mar é tão grande? Tão imenso? Tão poderoso?

É porque foi humilde o bastante para colocar-se alguns centímetros abaixo de todos os rios.

Sabendo receber, tornou-se grande. Se quisesse ser o primeiro, se quisesse ficar acima de todos os rios, não seria mar, seria uma ilha. E certamente estaria isolado.

Pense nisso!

Fonte: comunidademaconica.com.br

sábado, 26 de fevereiro de 2011

PRESTAÇÃO DE CONTAS DA REALIZAÇÃO DO III LUAL DA AMIZADE, DOS MESES DE DEZEMBRO DE 2010 E DE JANEIRO DE 2011 E DO ANO DE 2010 PELA LOJA MAÇÔNICA AMÂNCIO DANTAS

O irmão Phabiano Santos, 1º Vigilante da Loja Maçônica Amâncio Dantas, GOB/RN - Oriente Mossoró, componente da Comissão de Construção do Templo e também editor do Jornal informativo maçônico Huzzé, traz ao conhecimento de todos os irmãos as informações referentes ao andamento das obras e estágio da construção do templo e futuras instalações da Loja Maçônica Amâncio Dantas, assim como apresenta as prestações de contas referentes ao mês de dezembro de 2010 e janeiro de 2011 juntamente com o balanço financeiro do ano de 2010 , colocando-se ainda a disposição para dirimir dúvidas ou prestar maiores e melhores esclarecimentos sobre esses assuntos.

Para visualizar os valores relacionados, basta clicar sobre os documentos abaixo.

Pretação de contas referente ao mês de dezembro de 2010

Prestação de contas referente ao mês de janeiro de 2011

Prestação de contas referente ao ano de 2010

Da mesma forma, o irmão Phabiano Santos apresenta a prestação de contas do III Lual da Amizade, realizado no dia 29 de janeiro desse, ao mesmo tempo que agradece o empenho, participação e colaboração de todos na realização e sucesso que foi o referido evento.

Click no documento e veja a relação e os valores.


Prestação de contas do III Lual da Amizade
realizado pela Loja Maçônica Amâncio Dantas

Fica, por parte dos integrantes da Comissão de Construção do templo da Loja Maçônica Amâncio Dantas, assim como de todos que fazem este blog (ferramenta de informação e interação), o convite para que visitem a construção das novas instalações do templo e para que com isso possam também sentir o prazer de ver a nossa mais nova casa ser erguida.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A INFLUÊNCIA DA FILOSOFIA ESTÓICA NA MAÇONARIA

O fato de a maçonaria ser considerada uma escola iniciática e filosófica, e apresentar-se de certa maneira envolta em uma áurea espiritual, pode sem duvida confundir alguns recém iniciados. Pois um iniciado que não esteja preparado para receber toda a carga de ensinamentos filosóficos pode facilmente se confundir, pois é pouco provável que conclua que o objectivo principal e final da ordem seja a obtenção da virtude pessoal através de sua doutrina filosófica. Isso, imagina ele, é do foro da religião, não da maçonaria com sua “filosofia”.

Para diluirmos essas duvidas precisamos regressar no tempo e compreender qual era o papel que a filosofia ocupava na antiguidade. Na Antiguidade Clássica das grandes Civilizações desenvolvidas as coisas eram diferentes. A moralidade, a vida sã, as relações do homem com os deuses — tudo isto era do foro do filósofo e não do sacerdote. A religião romana, no tempo do Império, não tinha nada a ver com os problemas morais. A sua função era simplesmente a da execução dos rituais que assegurassem a proteção dos deuses por parte do Estado, ou evitassem os efeitos do seu descontentamento. Era um sistema formal de cerimonias públicas realizadas por funcionários do Estado, e não dava resposta às dúvidas e dificuldades da alma humana. Contudo, então, como agora, o homem sentia-se perplexo perante as grandes questões que são preocupação de todos nós. Qual é a composição deste universo que nos rodeia, e como é que ele apareceu? Teria sido fruto de um acaso cego, ou da sábia Providência? Se os deuses existem, será que eles se interessam pelas coisas dos mortais? Qual é a natureza do homem, e qual o seu dever aqui, e o seu destino no além-túmulo? Não eram os sacerdotes, mas os filósofos, que se reclamavam da competência para dar resposta a estas questões. É verdade que as suas respostas não eram unânimes; havia sistemas filosóficos rivais, e cada um oferecia a sua própria solução (como, aliás, as diferentes religiões do mundo ainda fazem hoje); mas todos concordavam que só à filosofia pertencia o direito exclusivo de se pronunciar com autoridade nos campos da metafísica, da teologia e da ética. Ela era considerada competente para explicar a história da criação, definir os poderes invisíveis por detrás da ordem do mundo, interpretar a natureza e o sentido da existência humana, prescrever as regras para uma vida sã, e revelar o futuro além-túmulo. Assim, a filosofia ocupava o lugar que, nos nossos dias, é ocupado pela religião, como instrutora e guia das almas em cada estágio das suas peregrinações terrenas. Esta pretensão justifica-se especialmente no caso do Estoicismo, que era marcado por um caráter mais religioso do que qualquer outro sistema da Antiguidade. Citando a observação do historiador irlandês Lecky que observou, “O Estoicismo tornou-se a religião das classes instruídas”. Pois ela fornecia os princípios da virtude, dava cor à mais nobre literatura da época, e guiava todos os desenvolvimentos do fervor moral.

A Filosofia Estóica

O Estoicismo, que era o sistema filosófico em que Imperador Romano Marco Aurélio acreditava, inclusive alguns autores o intitulam como o ultimo dos Estóicos, foi na sua origem, um produto do pensamento do Médio Oriente. Tinha sido fundado uns trezentos anos antes de Cristo por Zenão, oriundo de Citium (hoje Larnaka) em Chipre, e recebeu o seu nome da “Stoa” ou colonata, em Atenas, que era uma espécie de pórtico onde ele costumava dissertar. O seu principal discípulo foi Cleanthes, que por sua vez foi continuado por Chrysipo; e os sucessivos trabalhos destes três homens, que depois foram venerados como os “pais fundadores“ do Estoicismo, resultaram na formação de um esquema de doutrina que abarcava “todas as coisas divinas e humanas”. As três palavras-chave do credo de Zenão eram materialismo, monismo e mutação. Ou seja, ele considerava que tudo no universo mesmo o tempo, mesmo o pensamento tem uma qualquer espécie de substância corpórea (materialismo); que, em última análise, tudo se pode resumir a um simples princípio unificador (monismo); e que tudo está em perpétuo processo de mudança e a transformar-se em qualquer coisa diferente daquilo que antes era (mutação). Estes três dogmas foram os alicerces sobre os quais Zenão construiu toda a estrutura. A sua intransigente insistência nestes princípios levou-o por vezes a expor idéias perfeitamente indefensáveis; mas, nas mãos dos seus seguidores, as mais rígidas asserções do fundador foram modificadas e suavizadas de maneira a torná-las aceitáveis para os pensadores de espírito mais realista.

Resumindo, podemos considerar que os estóicos foram os primeiros a terem um conceito de humanidade semelhante ao da Maçonaria, pois em seu modo de interpretar a vida consideravam as pessoas como parte de uma mesma razão universal e isto levou à idéia de um direito universalmente válido, inclusive para os escravos. Os Estóicos eram monistas (negavam a oposição entre espírito e matéria) e cosmopolitas. Eles interessavam-se pela convivência em sociedade, por política e acreditavam que os processos naturais (morte, por exemplo) eram regidos pelas leis da natureza e por isso o homem deveria aceitar deu destino. Alem do imperador romano Marco Aurélio, o filósofo e político Cícero e Sêneca foram alguns dos grandes nomes que seguiram o estoicismo.

Quando o Estoicismo passou do Oriente para o Ocidente e foi introduzido no mundo romano, assumiu um aspecto diferente. Foram os elementos morais dos ensinamentos de Zenão que aqui despertaram mais atenção, e o seu valor prático foi prontamente apreciado. Um código que era humano, racional e moderado, um código que insistia num procedimento justo e virtuoso, na autodisciplina, numa força moral inabalável e numa completa libertação das tempestades da paixão adequava-se admiravelmente ao caráter romano. E conseqüentemente a reputação e influência do Estoicismo aumentou invariavelmente ao longo dos séculos que assistiram ao declínio da república e ao nascimento do principado; e por altura da ascensão de Marco Aurélio ao trono, tinha já atingido o ponto mais alto da sua supremacia. As suas concepções e a sua terminologia eram agora familiares aos homens e mulheres instruídos de todas as cidades importantes do Império os Estóicos definiam a filosofia como “luta pela sabedoria”; e “sabedoria“, por sua vez, era definida como “conhecimento das coisas divinas e humanas”. Dividiam este conhecimento em três ramos: a Lógica, a Física e a Ética

Uma vez que o primeiro requisito para a procura da verdade é um pensamento claro e rigoroso, que, por sua vez, depende de um uso preciso das palavras e um vocabulário de termos técnicos, o estudo inicial era a Lógica. Depois vinha a investigação dos fenômenos naturais e das leis da natureza. E esta estendia-se até à interpretação metafísica do universo; pois, no esquema estóico, a Física incluía o estudo completo do Ser na sua tripla manifestação: o próprio homem, o universo criado à sua volta, e Deus. Por fim, colocado no lugar mais elevado e importante do sistema, vinha a Ética. Pois a verdadeira função da filosofia, o ponto para o qual convergiam todas as questões e ao qual estavam subordinados todos os ramos do conhecimento, era a própria conduta do homem, definida numa palavra, “virtude“. Devamos comparar a filosofia a uma criatura vivente; os ossos correspondem à Lógica, a carne à Ética, e a alma à Física. Bem semelhante a busca que fazemos ao nos iniciarmos nesta Sublime Ordem, pois em nossas sessões procuramos cavar masmorras aos vícios e erguemos templos à virtudre.

Os três ramos de estudo do Estoicismo

A Lógica

No seu sistema, o conhecimento começa com impressões, que são produzidas pelo impacto das coisas ou qualidades sobre os sentidos. Depois fica para o poder da razão o julgamento daquilo que os sentidos reportam: aceitá-lo como representação verdadeira da realidade objetiva, ou rejeitá-lo como falso. Algumas impressões, como é evidente, desencadeiam uma aceitação imediata e espontânea como, por exemplo, a noção elementar de que o bem é benéfico e o mal prejudicial mas noutros casos a aceitação só vem depois de ponderada reflexão; e pode variar entre uma aprovação hesitante, tão fraca e vacilante que apenas constitui uma mera “opinião”, e uma certeza categórica que só é produzida por uma chamada “impressão arrebatadora”. Contudo, mesmo uma impressão deste tipo pode ser, de facto, imperfeita ou enganadora; e conseqüentemente a sua aceitação, por muito segura que seja, pode ser errónea. Deve, portanto, ser, em seguida, submetida ao escrutínio da razão, único poder soberano que pode emitir o passaporte para a convicção. Por fim, esta convicção pessoal tem de ser verificada por comparação com a experiência dos tempos e sabedorias passadas, e confirmada pelo veredito geral da humanidade; e torna-se então conhecimento. Ao explicar estes quatro estágios, Zenão costumava ilustrar as impressões com os dedos da mão estendidos, a aceitação com a mão fechada, a convicção com o punho cerrado, e o conhecimento com o punho firmemente agarrado pela outra mão.

A Física

Os físicos estóicos ensinavam que a fonte original do Ser em todas as suas formas é uma certa substância omnipresente em todo o universo, que pode ser mais bem descrita como Espírito. Contudo, como eles eram materialistas consumados, consideravam este Espírito como consistindo de uma matéria real e concreta, embora de uma espécie o mais fina e imperceptível que se possa imaginar. Numa analogia com o mais subtil e vivo dos elementos conhecidos, e que também alimenta a vida e o crescimento, conceberam a sua natureza essencial como a do Fogo; mas um fogo tão rarefeito e etéreo que a palavra “calor” talvez esteja mais próxima para a descrever do que qualquer coisa que possa sugerir uma idéia de chama real. Este Espírito-Fogo, que possuía consciência, objectivo e vontade, era simultaneamente o criador e a matéria do universo; tomava forma em inúmeras manifestações diferentes, dando assim às coisas a sua substância e forma, e produzindo a partir de si próprio o mundo visível e tudo o que dentro dele se encontra. De acordo com os variados contextos em que reflete sobre isto, os principais disseminadores do sistema estóico dão-lhe muitos nomes: quando falam da sua ação sobre o universo como um todo, pode chamar-lhe Deus, Zeus, Natureza, Providência, Destino, Necessidade, ou Lei; como um dos elementos materiais da natureza, é Fogo, ou Ar, ou Força; em relação à constituição do próprio homem, torna-se Alma, Razão, Espírito, Sopro, ou (na linguagem técnica da psicologia Estóica) “a Faculdade-Mestra”. É importante lembrar que todas estas palavras são meros termos para designar o mesmo Espírito-Fogo criador nos seus variados aspectos. O Estoicismo era, portanto, um credo panteísta: isto é, considerava que Deus está em toda a criação, mas não tem existência fora dela. E como tal, está em direta oposição aos ensinamentos rivais do Epicurismo. Epicuro, ao desenvolver as idéias de Demócrito, defendia que os únicos constituintes do universo são átomos e espaço vazio. 

A Ética

Os Estóicos ensinavam que o fim principal do homem, e o seu mais elevado bem, é a felicidade. Na sua visão, a felicidade era alcançada “vivendo de acordo com a Natureza”. Esta famosa frase é muito facilmente mal interpretada pelo homem contemporâneo. Não significa viver uma vida simples, ou a vida do homem natural; e muito menos viver da maneira que muito bem queremos. Para apreender o seu significado, temos de nos lembrar que a “Natureza” é uma das designações dos Estóicos para o fogo divino que, além de criar todas as coisas, também as molda para os seus próprios fins. Assim, ela incarna a idéia que hoje nós exprimimos pela palavra “evolução”. Ela era a força que guiava e dirigia todos os tipos de crescimento ou desenvolvimento em direção à perfeição final, como buscamos na maçonaria; e porque ela era também uma força viva, intencional e inteligente, os próprios Estóicos também, por vezes, lhe chamavam Deus. “Viver de acordo com a Natureza”, portanto, não era uma máxima muito diferente da obrigação do Novo Testamento “Sede vós os seguidores de Deus”, e implicava um ideal igualmente sublime e uma disciplina igualmente espinhosa.

Se quisermos uma definição mais precisa desta “Vida Natural”, os pensadores estóicos diziam que ela consiste, para cada criatura, numa estrita conformidade com o princípio essencial da constituição dessa mesma criatura. No caso do homem, este princípio essencial é a sua razão, que é parte da Razão universal. Desde que, portanto, ele siga esta lei racional do seu ser, aproxima-se da felicidade; se se afasta dela, não a alcançará.

A Vida Natural é, de facto, a vida controlada pela razão; e tal vida é descrita, em resumo, como “virtude”. É o significado de virtude que explica o dogma estóico que diz que “a virtude é o único bem, e a felicidade consiste exclusivamente na virtude”.

A razão diz-nos claramente que algumas coisas estão no nosso poder e outras não. Por exemplo, a saúde física, a riqueza, os amigos, a morte, e outras deste tipo, estão fora do nosso controle; portanto, não podem ser nem ajudas nem obstáculos à Vida Natural. São “coisas neutras”. Mas a nossa própria vontade, os nossos juízos, o nosso poder de aceitar o que é moralmente correto ou rejeitar ao contrário tudo isto está no nosso próprio poder. Daí que nada exterior a nós nos pode, por si só, afetar; só quando interiormente o aceitamos ou recusamos é que ele nos pode beneficiar ou prejudicar. O prazer, em si próprio, não é um bem, nem a dor, por si só, um mal; tornam-se uma ou outra coisa quando nós assim as julgamos.

É este o significado da insistência de Marco Aurélio em que “a opinião é tudo”. E também explica a presteza do sábio, que tantas vezes encontramos realçada nos seus ensinamentos, em “aceitar sem ressentimento tudo que lhe possa acontecer”; um preceito que é claramente um dos esteios da sua vida pessoal. É este o princípio que está por detrás da famosa “apatia”, ou “impassividade”, do sábio estóico ideal. Este, como ensinavam os filósofos, experimentará todas as sensações e emoções que são comuns ao homem, mas, porque se recusa a vê-las como males, não será afectado por elas. Considerando-as como coisas exteriores e portanto neutras, ele fica seguro e incólume.

Conseqüentemente, como os Estóicos afirmavam (para grande divertimento do poeta Epicurista Horácio), só o sábio é verdadeiro rei, rico, apesar da sua pobreza, feliz, apesar do seu sofrimento físico, livre, mesmo se escravo, sereno e auto-suficiente em todas as vicissitudes. Se as circunstâncias alguma vez se mostrarem excessivas para este desprendimento, ele não hesitará em deixar voluntariamente a vida; porque a vida, simplesmente, está também entre as coisas que são neutras. Tanto Zenão como Cleanthes morreram pelas próprias mãos, pois, em certas condições, fica melhor ao filósofo deixar a vida do que permanecer nela.

Tão inequívoco como o dever do homem para consigo próprio, é o seu dever para com os outros. Uma vez que todos os homens são manifestações do Espírito-Fogo uno e criador, a doutrina da fraternidade universal tinha um papel primordial no sistema estóico. O instinto racional e social é uma coisa inerente à constituição do homem. A bondade para com o seu semelhante é pois sua obrigação de todos os tempos; tem de aprender a ser tolerante para com as suas faltas, descontar a sua ignorância, perdoar os seus erros e ajudá-lo nas suas necessidades. Os estóicos entendiam o axioma de que todo o universo é uma sociedade organizada; uma comunidade cívica na qual o divino e o humano residem juntos numa cidadania comum. “O mundo é como se fosse uma só cidade”.

REFLEXÃO:

“Preocupe-se mais com seu caráter do que com sua reputação, porque seu caráter é o que você realmente é, enquanto a reputação é apenas o que os outros pensam que você é”.

A.´.R.´.L.´.M.´. Francisco Cândido Xavier, 153
Gilson Arcanjo Reis Vanzan M.´.M.´.

Fonte: comunidademaconica.com.br

DIMINUI ASSINATURA BÁSICA DE PLANO DE TELEFONIA DESTINADO À POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou hoje (24) o novo modelo para o programa chamado Acesso Individual Classe Especial (Aice), destinado à população de baixa renda. Com as mudanças, a assinatura básica mensal, descontados os impostos, passará de R$ 17,23 para R$ 9,50.

A intenção da Anatel é aumentar para 13 milhões o número de pessoas com acesso ao programa, oferecendo o benefício às famílias atendidas pelo Bolsa Família. O Aice, que existe desde 2005, tem atualmente 184 mil assinantes. As novas regras do programa serão submetidas a consulta pública por 30 dias.

As mudanças incluem também a adoção de uma franquia de 90 minutos para ligações locais entre telefones fixos. O valor estimado do pacote de 90 minutos locais passará de R$ 39,14 para R$ 13,31. O prazo de instalação passará de 30 para sete dias e os clientes poderão optar por um pacote pós-pago – atualmente o Aice é oferecido apenas na modalidade pré-pago.

Também serão adotadas tarifas diferenciadas de acordo com o horário da ligação, como existe hoje na telefonia residencial convencional. A Anatel vai estabelecer regras sobre a divulgação do Aice, que deverá ser feita pelas concessionárias.

Fonte: Agência Brasil

PAGAMENTO COMEÇA SEM DEFINIÇÃO DE CALENDÁRIO

O pagamento dos salários de fevereiro dos servidores públicos estaduais será feito hoje e na próxima segunda-feira. Nesta sexta-feira, recebem os funcionários públicos com matrículas terminadas de 1 a 5. Na próxima segunda-feira (28), será a vez daqueles que têm matrículas com finais de 6 a 9 e 0. A folha de pagamento do Poder Executivo estadual é de R$ 221 milhões. São 66 mil de servidores da ativa e 24 mil aposentados e pensionistas.

Os funcionários recebem o pagamento de fevereiro, mas ainda não há um calendário para os demais meses do ano. Ontem, o secretário de Administração e Recursos Humanos, Manoel Pereira, disse que a governadora Rosalba Ciarlini determinou prioridade para o pagamento dos salários dentro de cada mês, a exemplo do que foi feito em janeiro e do que ocorre agora em fevereiro. Mas, afirmou o secretário, ainda não é possível garantir que nos próximo dez meses a orientação da governadora vai ser cumprida. “Essa é a intenção, mas, diante do caos no qual recebemos o governo, não é possível dar garantias”, disse o secretário.

Fonte: Tribuna do Norte

DIRETORES DO HOSPITAL WALFREDO GURGEL PEDEM DEMISSÃO COLETIVA

A diretoria do Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel emitiu uma nota na manhã desta sexta-feira (25) comunicando o "desligamento das suas funções". Segundo o documento, a demissão coletiva se deveu porque "a partir de janeiro, com a mudança da equipe de Governo, essa direção não identificou ações concretas capazes de minimizar os nós críticos da instituição, muito menos a participação dessa mesma equipe nas discussões dos projetos da SESAP relativos às ações de saúde do Estado que produzissem reflexo imediato no cotidiano do serviço. Isto porque entendemos que o Walfredo Gurgel é uma instituição que serve como observatório da saúde podendo subsidiar ações e medidas sanitárias para todo o Rio Grande do Norte".
 
Leia a íntegra da nota:

"Desde o início da atual gestão do “Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel”, o grupo diretor elegeu como prioridade a excelência na assistência ao paciente crítico que adentra esta unidade hospitalar. Para tanto, envidou esforços na qualificação dos profissionais, na aquisição de equipamentos e na reestruturação física de diversas áreas do hospital. (ver Relatório de Gestão 2007 – 2010)

Alguns grandes obstáculos sempre se colocaram como fatores adversos ao processo de qualificação assistencial, em especial: 1) A indefinição do perfil assistencial do Hospital, que dificulta o processo administrativo (aquisição de material médico hospitalar, insumos, medicamentos e dimensionamento de pessoal); 2) A inexistência de um Complexo de Regulação para o atendimento de urgência, organização da oferta de leitos, exames e consultas especializadas, implicando no entendimento confuso do princípio da “vaga zero” e impondo ao hospital de 268 leitos, por vezes, mais de 350 pacientes, dos quais 90 pacientes “internados” em macas no Pronto-Socorro e um número considerável de pacientes à espera de leitos de UTI.

Apesar das dificuldades aqui colocadas, o compromisso em oferecer a melhor assistência tem movido os profissionais desta Direção na luta constante por avanços dos seus processos de trabalho.

Nos últimos anos, o Governo do Estado e a Secretaria Estadual de Saúde entendendo que o processo de descentralização seria salutar no avanço administrativo da rede hospitalar, apostou na capacidade gerencial dos hospitais estaduais e, em especial, no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, ampliando sua dotação orçamentária/financeira. Essa medida permitiu agilizar, por um certo período, a aquisição de medicamentos e insumos, qualificando o custeio do hospital.

É bem verdade que nos últimos cinco meses a escassez na transferência de recursos trouxe prejuízos enormes ao abastecimento gerando um débito na ordem de 4 milhões de reais, fazendo com que o inicio de 2011 fosse marcado por sérios problemas de abastecimento, dentre outros.

Contudo, no início de nova gestão estadual e de um novo ano, as esperanças se renovaram e o otimismo mais uma vez veio à tona, no anseio por ações que pudessem reverter o quadro existente. Porém, a partir de janeiro, com a mudança da equipe de Governo, essa direção não identificou ações concretas capazes de minimizar os nós críticos da instituição, muito menos a participação dessa mesma equipe nas discussões dos projetos da SESAP relativos às ações de saúde do Estado que produzissem reflexo imediato no cotidiano do serviço. Isto porque entendemos que o Walfredo Gurgel é uma instituição que serve como observatório da saúde podendo subsidiar ações e medidas sanitárias para todo o Rio Grande do Norte.

Além das freqüentes dificuldades do dia a dia, nas últimas semanas tem-se evidenciado pouca atenção por parte da SESAP às solicitações e reivindicações da Diretoria do Hospital no sentido de abastecer os diversos setores, comprometendo as ações assistenciais e consequentemente a qualidade da atenção, prejudicando o quadro de superlotação existente e, até esta data, sequer temos conhecimento da dotação orçamentária do ano de 2011 (ver cópia anexa).

Diante de tais fatos, os profissionais que compõem a direção do Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel, vêm publicamente informar o desligamento das suas funções.

É importante esclarecer que esta diretoria que ora se desvincula dos cargos diretivos, permanecerá comprometida com aquilo que sempre foi a sua única e grande bandeira de luta e motivo maior de tamanha persistência – NOSSOS USUÁRIOS.

Aos nossos funcionários e grandes colaboradores o nosso chamamento por uma vinculação cada vez maior com uma instituição que tem prestado, ao longo dos anos, inestimáveis serviços à saúde do Rio Grande do Norte e que transcende as cores de “bandeiras partidárias.

Diretoria do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel".
 
Fonte: Tribuna do Norte

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A IRMANDADE SECRETA DOS MAÇONS

O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ENUNCIARÁ HOJE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFESSORES: R$ 1.187,97

O Ministério da Educação (MEC) anuncia hoje o novo valor do piso salarial nacional dos professores do ensino básico — R$ 1.187,97 — e a redução de exigências para ajudar prefeituras que dizem não ter dinheiro para pagar o salário mínimo do magistério.

O reajuste será de 15%, índice calculado com base em interpretação da lei feita pela Advocacia-Geral da União.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) contesta o valor divulgado pelo MEC e diz que o piso deveria ser de R$ 1.597 mensais, em 2011. Divergência semelhante já tinha ocorrido no ano passado.

Sindicalistas discordam da interpretação endossada pelo MEC, prefeituras e governos estaduais.

A lei aprovada pelo Congresso fixa como parâmetro o aumento de gasto por aluno/ano no Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica).

A divergência é se deve ser considerada a variação do ano anterior, isto é, de 2009 e 2010, ou a atual, de 2010 para 2011. A AGU argumenta que, em 2011, só existe uma estimativa de receita e que seria temerário dar um reajuste com base em previsões. Já a CNTE diz que a lei é clara e fala no ano atual.

O piso nacional é definido anualmente. Em 2010, era de R$ 1.024,67 mensais. Ele corresponde à remuneração mínima de professores com jornada semanal de 40 horas e formação de nível médio (curso de magistério).

Em tese, profissionais com diploma de nível superior deveriam ganhar mais, o que nem sempre ocorre.

Fonte: Blog do Robson Pires

PARLAMENTAR ESTRÉIA COM EXEMPLO DE AUSTERIDADE

O deputado federal José Antonio Reguffe (PDT-DF), que foi proporcionalmente o mais bem votado do país com 266.465 votos, com 18,95% dos votos válidos do DF, estreou na Câmara dos Deputados fazendo barulho. De uma tacada só, protocolou vários ofícios na Diretoria-Geral da Casa.


Abriu mão dos salários extras que os parlamentares recebem (14° e 15° salários), reduziu sua verba de gabinete e o número de assessores a que teria direito, de 25 para apenas 9. E tudo em caráter irrevogável, nem se ele quiser poderá voltar atrás. Além disso, reduziu em mais de 80% a cota interna do gabinete, o chamado “cotão”. Dos R$ 23.030 a que teria direito por mês, reduziu para apenas R$ 4.600.

Segundo os ofícios, abriu mão também de toda verba indenizatória, de toda cota de passagens aéreas e do auxílio-moradia, tudo também em caráter irrevogável. Sozinho, vai economizar aos cofres públicos mais de R$ 2,3 milhões nos quatro anos de mandato. Se os outros 512 deputados seguissem o seu exemplo, a economia aos cofres públicos seria superior a R$ 1,2 bilhão.
 
“A tese que defendo e que pratico é a de que um mandato parlamentar pode ser de qualidade custando bem menos para o contribuinte do que custa hoje. Esses gastos excessivos são um desrespeito ao contribuinte. Estou fazendo a minha parte e honrando o compromisso que assumi com meus eleitores”, afirmou Reguffe em discurso no plenário.
 
Fonte: Jgomes
Via: O Guardião da Serra

DILMA ANUNCIARÁ NA PRÓXIMA SEMANA NOVO VALOR PARA O BOLSA FAMÍLIA

A presidenta Dilma Rousseff vai anunciar, no início de março, reajuste para o Programa Bolsa Família. O reajuste deverá ser anunciado no dia 1º, durante visita da presidenta ao município de Irecê, localizado a 478 quilômetros de Salvador, em pleno sertão da Bahia.

O valor do reajuste ainda não está definido, e a ministra de Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campello, terá ainda nesta semana reunião com a presidenta para bater o martelo sobre o novo valor do benefício.

O anúncio do reajuste vem sendo pensado no contexto de atividades relacionadas ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março. De acordo com dados do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 93% dos usuários do cartão são mulheres. Por isso, o governo considera o programa importante para melhorar a situação econômica das mulheres.

A ministra Iriny Lopes, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, órgão ligado à Presidência da República, fará parte da comitiva presidencial na viagem a Irecê, onde participará da abertura da Feira da Economia, organizada por um grupo de produtoras rurais do município.

O Bolsa Família foi reajustado pela última vez em setembro de 2009. Os valores pagos hoje pelo programa variam de R$ 22 a R$ 220, dependendo da quantidade de filhos e da renda de cada família beneficiada. O valor médio pago pelo Bolsa Família é R$ 94.

A Bahia é estado com maior número de famílias beneficiadas pelo programa de distribuição de renda lançado no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dados deste mês indicam que 1,7 milhão de famílias baianas recebem o Bolsa Família. Em Irecê, mais de 7 mil famílias são atendidas pelo programa, que neste mês atingiu a meta de beneficiar em todo o país 12,9 milhões de famílias

O segundo estado em número de beneficiados é São Paulo, com 1,2 milhão de famílias. Minas Gerais vem em terceiro lugar, com 1,1 milhão de famílias.

Além de Irecê, a presidente deve ir a Salvador. Na viagem, a presidenta Dilma Rousseff poderá anunciar ainda obras de construção de um terminal de regaseificação da Petrobras, na Baía de Todos os Santos.

Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A LIBERDADE

A LIBERDADE, juntamente com a IGUALDADE e a FRATERNIDADE, constitui um dos pilares da Maçonaria. 

Detenhamo-nos nesse tema, pois ele se presta a mal-entendidos.

Para muitas pessoas, liberdade é sinônimo de rebeldia. Embora a rebeldia possa ser o primeiro passo para a conquista da liberdade, esta não se reduz àquela.

Com muita freqüência, a pessoa rebelde está presa ao que se espera dela, em termos de uma estrutura externa – leis, regras, preceitos vários – sentindo-se livre, se fizer exatamente o oposto. Se não se pode fazer tal coisa, por isso mesmo é que devo fazê-la para ser livre.

Outro erro comum é confundir liberdade com falta de disciplina. "Cada um faça o que lhe aprouver", convidando o homem a atuar irresponsavelmente, relegando a outrem os encargos que lhe competem. 

Há quem use o termo liberdade para definir a possibilidade de ir e vir para onde queira, ou de decidir determinados objetivos, como escolha profissional, mudança de residência, controle do número de filhos etc.

A liberdade pode, também, ser examinada no sentido político: liberdade de voto, de manifestação de idéias etc.

No sentido existencial, contudo, a liberdade assume outra conotação, como, magistralmente, expôs VIKTOR FRANKL: "quando a vida é reduzida ao simples fato de existir e quando nada mais tem significado (como na experiência de um campo de concentração), existe ainda a liberdade básica, a liberdade de escolher a atitude a tomar com o próprio destino. Isso pode não modificar o destino, mas modifica enormemente a pessoa". 

Assim, a liberdade é vista como um dos valores fundamentais da existência, não como liberdade em relação a condições, sejam biológicas, psicológicas ou sociais; não como liberdade de algo, mas sim como liberdade para algo, ou seja, a liberdade para a tomada de posição perante todas as condições. 

O homem só se eleva à condição de existente, quando assume a dimensão da liberdade, porque sendo livre, a cada instante decide o que é, não arbitrariamente, mas com responsabilidade. A escolha de suas possibilidades é um ato de sua liberdade, liberdade que ele tem, de um modo ou de outro e até à morte, de assumir uma atitude para com seu destino. E, sempre há um "de um modo ou de outro", ao escolher o que verdadeiramente fazemos de nós. 

Quantas vezes nos encontramos diante de alternativas de valores, da necessidade de escolhermos dentre princípios entre si contraditórios? Tal escolha, se feita impulsivamente, sem consciência e responsabilidade, não será uma livre escolha. 

É essa condição de liberdade que podemos conquistar e, de fato, o fazemos à medida em que aceitamos a responsabilidade de nossa existência, não como algo a que estamos presos, mas como um valor por nós escolhido, como um "optar por nós mesmos". 

Assumindo nossa responsabilidade existencial, decidindo com liberdade nossas escolhas de vida, transformamos a disciplina externa em auto-disciplina, nas porque sejamos submissos às ordens, mas porque sabemos o que pretendemos fazer de nós. E a disciplina é fundamental para a consecução de nosso projeto existencial. 

Recusando-nos como "coisa" e enveredando pelo desdobramento de nossas possibilidades existenciais, de nossas possibilidades de dispormos de nós mesmos, de nos autodeterminar, estaremos conquistando a liberdade. 

Liberdade condicionada pela responsabilidade, que, por sua vez, não pode existir sem liberdade, numa verdadeira dialética da autonomia.

José Cássio Simões Vieira
Mestre Instalado da ARLS Theobaldo Varoli Filho
São Paulo - SP.

Fonte: comunidademaconica.com.br

VEÍCULOS LONGOS FICAM PROIBIDOS DE TRANSITAR POR VIAS FEDERAIS EM FERIADOS


Brasília - A Coordenação Geral de Operações do Departamento de Polícia Rodoviária Federal proibiu a partir de hoje (23) o trânsito de veículos longos nas estradas federais de pista única durante os feriados nacionais. A determinação foi publicada no Diário Oficial da União.

De acordo com a portaria, são considerados veículos longos as Combinações de Veículos de Carga (CVC) – caminhões que puxam dois ou mais reboques – Combinações de Transporte de Veículos (CTC) - caminhões-cegonha - e Combinações de Transporte de Veículos e Cargas Paletizadas (CTVP) – veículos especiais que transportam cargas de dimensões diferenciadas como trator ou guindaste, mesmo com Autorização Especial de Trânsito (AET).

A medida tem o objetivo de dar fluidez e segurança ao trânsito de veículos nas estradas, que aumenta consideravelmente durante os feriados. O descumprimento da determinaçãp constitui infração grave, prevista no Artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro, com punição de cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 127,69.

De acordo com o calendário oficial, os feriados são 1º de janeiro (Ano Novo), 21 de abril (Tiradentes), 1º de maio (Dia do Trabalho), 7 de setembro (Independência), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida), 2 de novemvbro (Finados), 15 de novembro (Proclamação da República) e 25 de dezembro (Natal). São pontos facultativos o carnaval, que este ano cai nos dias 7, 8 e 9 de março, a Paixão de Cristo em 22 de abril, Corpus Christi, em 23 de junho, e o Dia do Servidor Público, em 28 de outubro.

Fonte: Agencia Brasil

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

CONSTRUÇÃO DO TEMPLO DA LOJA MAÇÔNICA AMÂNCIO DANTAS

Trabalhos de construção alcaçam novas áreas e estão
bastante avançadaos. 
Na sua 1ª edição o jornal informativo maçônico Huzzé, da Loja Maçônica Amâncio Dantas, trouxe detalhes do estágio no qual se encontrava o andamento da construção do templo da referida loja naquele mês de dezembro.

Click na imagem abaixo e veja a matéria na íntegra, conforme edição do jornal maçônico Huzzé.

IRMÃOS E PARCEIROS NA CONSTRUÇÃO DO TEMPLO DA LOJA MAÇÔNICA AMÂNCIO DANTAS

Na cruzada rumo à conquista da construção do templo da Loja Maçônica Amâncio Dantas todos caminham de mãos e braços dados para vencer mais essa batalha da maçonaria.  

Assim, o jornal informativo maçônico Huzzé destacou e agradeceu, em sua edição de lançamento nesse mês de dezembro de 2010, a colaboração, empenho e luta de todos que contribuíram e continuam a contribuir para com a concretização desse sonho de todos que fazem a Loja Maçônica Amâncio Dantas – GOB RN – de Mossoró.

Click na imagem abaixo e veja.



EMPRESÁRIO É PRESO SUSPEITO DE SER O MANDANTE DA MORTE DE F. GOMES

O delegado Márcio Delgado Varandas prendeu na manhã desta terça-feira (22) o empresário Lailson Lopes, mais conhecido como "Gordo da Rodoviária". Ele é suspeito de ser o mandante da morte do radialista Francisco Gomes de Medeiros, o F. Gomes. O acusado foi preso por força de um mandado de prisão preventiva.

Os motivos que levaram à prisão ainda não foram divulgados pela polícia. Neste momento, o delegado Márcio Delgado está colhendo o depoimento de Lailson Lopes e, em seguida, deverá conceder uma entrevista coletiva.

Lailson havia sido preso no dia 21 de janeiro, juntamente com o advogado Rivaldo Dantas de Farias, que defendia o assassino confesso de F. Gomes. Na ocasião, os dois foram acusados de extorsão.
 
Após a prisão realizada em janeiro, a polícia começou a investigar o possível envolvimento de Lailson Lopes com o João Francisco do Santos, o "Dão", que confessou ter atirado em F. Gomes. Com isso, o delegado Márcio Delgado acabou solicitando o mandado de prisão preventiva.

O radialista F. Gomes foi assassinado na noite de 18 de outubro do ano passado. Ele estava sentado na calçada de casa, quando Dão teria chegado em uma motocicleta e atirado várias vezes. Até então, apenas o assassino havia sido identificado, e o Ministério Público cobrava a prisão do mandante.
 
Fonte: nominuto.com

IR: COMPROVANTE DE RENDIMENTO DEVE SER ENTREGUE ATÉ O DIA 28


Termina na próxima segunda-feira (28), o prazo para as empresas e pessoas físicas que fizeram pagamentos com retenção de imposto em 2010 entregarem a Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) à Receita Federal. O prazo é o mesmo para as empresas entregarem o Comprovante de Rendimentos aos trabalhadores.

Segundo à Receita, as pessoas jurídicas que deixarem de apresentar a declaração estão sujeitas à multa mínima de R$ 500. Para as empresas do Simples e as inativas a multa mínima é de R$ 200. No caso do Comprovante de Rendimento, a penalidade é uma de R$ 41,43 por documento.

As informações são importante para o contribuinte preencher e enviar a declaração do IRPF. O prazo de entrega começa em 1º de março e termina em 29 de abril. A transmissão das informações sobre retenção de imposto só pode ser feita pela página da Receita na internet.
 
Fonte: nominuto.com 

PAGAMENTO DO GARANTIA SAFRA COMEÇA EM MARÇO

Os mais de 23 mil trabalhadores rurais que aderiram ao Programa Garantia Safra, no Rio Grande do Norte, deverão começar a receber o pagamento do “seguro”  nos primeiros dias de março deste ano. O repasse dos recursos serve como compensação por perdas sofridas na safra 2009/2010 e soma R$ 600 para cada beneficiado. Juntos, eles receberão R$ 14.032.200,00. As informações foram divulgadas ontem pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Agricultores inscritos no “seguro” poderão
receber os recursos pagos pelo governo federal
De acordo com informações do Ministério, cada agricultor receberá o pagamento em quatro parcelas de R$ 150. Ao todo, 81 municípios do estado estão inscritos no programa, sendo que o maior número de agricultores com adesão está na cidade de São Tomé, com 1.499 inscritos. Em seguida estão as cidades de São Paulo do Potengi (983) e São Miguel do Gostoso, com 905.

Ameaçado este ano porque a contrapartida que cabe ao Estado atrasou no governo passado, formando uma dívida de R$ 910.728, o pagamento foi assegurado com a quitação do débito em tempo pela nova administração. O garantia safra é um dos principais programas voltados a proteger o agricultor familiar que sofreu perda total ou parcial da safra. Na safra 2010/2011, 32.679 agricultores potiguares se inscreveram e, caso ocorra seca ou enchente, com perda de 50% ou mais da safra, receberão, cada R$ 640 em 2012. os agricultores que terão direito aos recursos este ano foram vítima principalmente da estiagem que provocou quebra de produção para algumas culturas em 2010.

O programa

O Garantia-Safra tem como objetivo garantir renda mínima aos agricultores de localidades atingidas sistematicamente por situação de emergência ou calamidade pública por causa de estiagem ou excesso de chuvas. De acordo com informações do MDA, para ter direito aos recursos é preciso fazer a adesão ao programa anualmente. Essa adesão deve ser feita pelos agricultores, mas também pelos estados e municípios. O repasse do dinheiro só é feito, entretanto, aos agricultores que aderiram nos municípios em que é detectada perda de pelo menos 50% da produção de algodão, arroz, feijão, mandioca e milho. Os benefícios são pagos diretamente aos trabalhadores, em parcelas mensais por meio de cartões eletrônicos disponibilizados pela Caixa Econômica Federal.

Para participar do programa o agricultor precisa estar enquadrado como  agricultor familiar e efetuar a adesão antes do plantio. Os interessados não podem ter renda familiar mensal superior a 1,5 salário mínimo, nem área superior a 4 módulos fiscais. A área total a ser plantada não pode superar dez hectares.

Fonte: Tribuna do Norte

A CARTA DOS GOVERNADORES: ERRADICAÇÃO DA MISÉRIA


Os governadores dos Estados Nordestinos e de Minas Gerais, reunidos ontem em Aracaju, Sergipe, publicaram uma carta logo após o término do XII Fórum dos Governadores do Nordeste.
 
Eles reforçam e enfatizam o compromisso de buscar a erradicação da miséria em todo o País, apoiando a meta prioritária definida pela Presidenta da República Dilma Rousseff.
 
Confiram os principais destaques da carta:
 
1) O Nordeste não pode parar. O contingenciamento orçamentário não pode por em risco os investimentos e os programas sociais que são estratégicos e prioritários para a região;
 
2) A manutenção e a aceleração dos investimentos na infraestrutura de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos do Nordeste, visando o fortalecimento da integração regional e como fator fundamental de competitividade regional;
 
3) A implantação de novas modalidades de financiamento da infraestrutura, em especial que contemple projetos interestaduais e de âmbito regional,articulando agências nacionais e internacionais para integrar as linhas existentes para a região, construindo uma pauta comum de financiamento da infraestrutura produtiva regional;

 4) O enfrentamento da questão do subfinanciamento da saúde pública, premissa indispensável para garantir políticas públicas compatíveis com o preconizado na Constituição Federal e a revisão da repartição regional dos recursos destinados ao Sistema Único de Saúde;

 5) Pleiteiam a construção de uma política nacional de segurança que contemple a modernização das polícias militar e civil dos Estados e o estabelecimento progressivo de uma política salarial nacional;

 6) Alertam, também, que o Nordeste não pode continuar a conviver com as perdas decorrentes do atual modelo de tributação do comércio eletrônico;

 7) Reforço à política educacional de qualificação do ensino básico e de expansão do ensino técnico e superior, com construção de novas universidades, institutos tecnológicos e escolas técnicas, fortalecendo a formação profissional e a empregabilidade dos jovens nordestinos;

8) Ampliação dos investimentos em ciência & tecnologia, notadamente com a criação de centros tecnológicos em áreas estratégicas para a região, como em energia eólica, solar e nuclear e na ampliação dos centros tecnológicos de petróleo e gás;

 9) Apoio à expansão das cadeias e arranjos produtivos locais, com o objetivo de desenvolver as vocações produtivas e gerar riqueza, favorecendo as condições de sobrevivência das famílias mais pobres;

 10) Reafirmam o compromisso com os investimentos indutores do desenvolvimento, a exemplo da implantação das Zonas de Processamento de Exportações (ZPE), irrigação e saneamento;

 11) Defendem o fortalecimento do turismo regional e a urgência de investimentos nas cidades sedes e subsedes da Copa do Mundo de 2014.

A qualidade do diálogo interfederativo é passo importante e decisivo para ajudar a tornar o Brasil mais forte, mais igual e mais justo. E o compromisso da Presidenta Dilma Rousseff com esse diálogo reforça a esperança de milhões de nordestinos de que, juntos, seremos capazes de construir um futuro melhor para toda a nação.
 
Barra dos Coqueiros, Sergipe, 21 de fevereiro de 2011.
 
MARCELO DÉDA CHAGAS
Governador do Estado de Sergipe
TEOTÔNIO BRANDÃO VILELA FILHO
Governador do Estado de Alagoas
JACQUESWAGNER
Governador do Estado da Bahia
CID FERREIRA GOMES
Governador do Estado do Ceará
WASHINGTON LUIZ OLIVEIRA
Vice- Governador do Estado do Maranhão
RICARDO VIEIRA COUTINHO
Governador do Estado da Paraíba
EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS
Governador do Estado de Pernambuco
WILSON NUNES MARTINS
Governador do Estado do Piauí
ROSALBA CIARLINI ROSADO
Governadora do Estado do Rio Grande do Norte
ANTONIO AUGUSTO JUNHO ANASTASIA
Governador do Estado de Minas Gerais
 
Fonte: Blog do Robson Pires

domingo, 20 de fevereiro de 2011

REFLEXÃO: TUDO DEPENDE DE MIM

Apedido de nossos seguidores e de muitos dos nossos web leitores, estamos postando novamente o vídeo "Tudo depende de mim". Assista e reflita.


quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A MAÇONARIA MISTA E FEMININA

O artigo que segue foi retirado do jornal maçônico Huzzé, pertencente à Loja maçônica Amâncio Dantas, o qual foi publicado na 1ª ed. do referido jornal no mês de dezembro de 2010 sob a edição do jornalista, publicitário e acadêmico em Direito Phabiano Santos, o qual também é Maçon e 1º Vigilante da Loja Maçônica Amâncio Dantas, GOB/RN-Oriente Mossoró.

Para Visualizar o artigo de autoria da escritora Edna Duarte Dantas, filha do nosso patrono Amâncio Dantas, conforme publicado nas páginas do jornal informativo maçônico Huzzé, basta clicar sobre o documento localizado logo abaixo do texto aqui exposto.

A MAÇONARIA MISTA E FEMININA

É fato corriqueiro que as origens da Maçonaria se perdem no tempo. Nomes antiquíssimos como Caldéia, Egito, Pérsia, Índia ligam-se àqueles ditos "maçons" - e, consequentemente, outros, como França, Inglaterra, Escócia, tantos mais.

Onde a palavra liberdade, também nos deparamos com a Maçonaria: assim a Bastilha, a Independência das colônias americanas, o nascimento das repúblicas latinas do nosso continente.

Por ser uma sociedade secreta, as falsas idéias, sobre o que é e como age, proliferam. É comum pensarem - talvez, hoje, pela prosperidade do "Grande Oriente" e das "Grandes Lojas" – seja restrita ao ingresso de homens. Isso não corresponde à realidade e nem seria lógico, num mundo onde a igualdade dos sexos se estabelece de forma inquestionável.

No Brasil, mesmo, ainda as mulheres brigando por esses Direitos, em todas as áreas do viver humano, existem lojas maçônicas só de mulheres. Assim como - e aos nossos olhos, bem mais consoantes aos princípios maçônicos de igualdade e fraternidade - funcionam muito mais de sessenta lojas mistas.

Entre aquelas, citamos a Augusta e Respeitável Loja Maçônica Feminina Independente Igualdade, em São Paulo. Foi fundada por Maria Itália Magalhães Tubeto, em 1988. Ali, algumas dezenas de mulheres realizam rituais idênticos aos das lojas masculinas, embora haja uma ênfase especial ao feminino: numa alusão aos rituais medievais, praticam um culto da fertilidade.

O grande número de lojas mistas, no Brasil, pertence à Ordem Maçônica Mista Internacional Le Droit Humain, que afirma a igualdade essencial dos seres humanos - Homem e Mulher. E pretende que eles cheguem a gozar igualmente "em todo o orbe, da justiça social, em uma Humanidade organizada em sociedades livres e fraternais".

Se examinarmos com cuidado a História, torna-se fácil compreender as sérias responsabilidades da Instituição Maçônica e o seu silencioso - na maior parte das vezes - trabalho, em prol do verdadeiro progresso do elemento humano.

Maçonaria não é religião. Não professa dogma algum. Respeita, sim, todas as religiões. Objetivamente, é o agrupamento de todas as correntes filosóficas e iniciáticas do passado. É a Ciência da Evolução, como também é Tradição - liberal e progressiva: os maçons devem ser "as sentinelas avançadas das idades futuras".

Outra palavra que a caracteriza: Fraternidade. Sentimento mantenedor da irmandade, a serviço de todos os homens. Sem o seu cultivo, a árvore maçônica não produzirá frutos substanciais – é uma das primeiras lições. Não só para a Ordem Internacional Mista Le Droit Humain, mas abrangente a todas as outras, o princípio da Fraternidade é nato no coração, "a base da filantropia verdadeira que dá sem buscar recompensa". O sentimento da Fraternidade é um dever maçônico.

E o objetivo da Maçonaria, qual será? - Nada mais, nada menos que o despertar do poder latente em cada ser, e "converter o homem em Deus consciente de sua Divindade sem limitações e dúvidas".

Consideramos que a maior honra para um ser humano é ser maçon. E reafirmamos: é, igualmente, sua maior responsabilidade.

Daí porque José Coelho da Silva, antigo Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado do Rio de Janeiro, dizia: "É tão mais difícil expulsar um delinquente da Maçonaria do que impedir o seu ingresso". Nunca será demais, portanto, o alerta para o perigo de se permitir o ingresso, na Maçonaria, de pessoas desqualificadas ou inadequadas. Deve-se buscar uma sindicância cada vez mais rigorosa na seleção de candidatos. Sempre será preferível a "qualidade" e não a "quantidade".

Meu pai, Amâncio Dantas, um verdadeiro obreiro, por mais de cinquenta anos servindo ao Grande Oriente do Brasil e, hoje, no Oriente Eterno, ensinava-me que muitos entram para a Instituição mas nunca foram maçons. Que não o sã o. Inversamente, outros, jamais atravessaram seus Portais: no entanto, vieram ao mundo com o Espírito Maçônico.

Maçon é o que cumpre o seu ideal, não obstante os maus irmãos. Trabalha e tem absoluta confiança no poder da Bondade e da Justiça. Este reconhece o tão propalado "Segredo" - tão raro até para os maçons de graus mais elevados. Pois este prodigioso "Segredo" não se comunica: "sente-se e descobre-se".

Edna Duarte Dantas é advogada, escritora,
cantora, artista plástica, teosofista, rosacruz
e maçona ligada à Ordem Maçônica
Mista Internacional Le Droit Humain


ALGUNS PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DA MAÇONARIA

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

MAÇONARIA - MITOS DA IGNORÂNCIA


O artigo que se segue relata a opinião de uma evangélica acerca da Maçonaria. Vale apena lê-lo.

No Brasil, o início da maçonaria se deu em 1822, sendo D.Pedro I o seu primeiro grão mestre. A falta de conhecimento e de disposição para buscar os fundamentos de determinados fatos fazem com que muitas pessoas se deixem influenciar por opiniões completamente deturpadas à cerca desses fatos. É o que acontece em relação à maçonaria. Algumas religiões não aprovam os princípios maçônicos e alegam, inclusive, que a maçonaria é de origem satânica, e que os maçons pertencem ao demônio. Infelizmente muitos cristãos fazem coro com isso, pregando a mesma coisa, dis tribuindo materiais suspeitos com declarações suspeitas, promovendo com isso a intolerância e a desinformação. Não vou aqui falar sobre os fundamentos da maçonaria, pois qualquer um pode acessar o google e conhecer essa história. Mas tenho ouvido tantos absurdos serem disseminados que resolvi escrever este artigo. Estou ciente de que, como membro de uma igreja evangélica, corro o risco de ser rotulada de seguidora do demo, mas resolvi pagar o ônus pelo que aqui vou expor. 

Não entendo que a maçonaria seja uma sociedade secreta, pois tem loja em local conhecido de todos e não oculta sua existência. O tal segredo está nas cerimônias empregadas na admissão dos seus membros e os meios usados pelos maçons para se conhecerem. É aqui que a imaginação é prodigiosa.No Brasil, o início da maçonaria se deu em 1822, sendo D.Pedro I o seu primeiro grão mestre. 

Pessoas vindas dos Estados Unidos que se estabeleceram em Santa Bárbara-SP, fundaram em 10 de setembro de 1871 a Igreja Batista de Santa Bárbara, a primeira Igreja Batista estabelecida em solo brasileiro, com o Pastor Richard Ratcliff. Na mesma localidade, em 1874, foi fundada a loja maçônica George Whasington, e pelo menos cinco fundadores da loja também foram fundadores da Primeira Igreja, entre eles o Pastor Robert Porter Thomas.O Pastor Thomas foi interino por diversas vezes tanto na Primeira Igreja quanto na Igreja da Estação (Segunda), fundada em 02 de novembro de 1879. Seu pastorado nas duas igrejas durou cerca de 25 anos de profícuo trabalho.

O primeiro pastor batista brasileiro, Antonio Teixeira de Albuquerque, foi batizado pelo Pr.Thomas, que era maçom, e consagrado ao Ministério da Palavra no salão da loja maçônica. 

O missionário Salomão Luiz Ginsburg, maçom, membro de diversas lojas maçônicas na Bahia, Pernambuco, Rio e Espírito Santo, editor do Cantor Cristão, fundou a Primeira Igreja Batista na cidade de São Fidelis-RJ e, em 1902, o Seminário Teológico Batista do Norte.

Pastor José Souza Marques, presidente da Convenção Batista Carioca e da Convenção Batista Brasileira, cujos frutos todos conhecem, exerceu diversos cargos na maçonaria e foi, por muito tempo, presidente do supremo tribunal de justiça maçônica. 

Bento Gonçalves, Isaac Newton,José Bonifácio, Duque de Caxias, Pastor Martin Luther King Júnior, Rui Barbosa, Thomas Edison, Mozart e Voltaire foram maçons, você sabia?

Em Marataízes, vou citar o nome de dois maçons que conheci ainda criança e que posso testemunhar do incansável trabalho de divulgar o Evangelho de Jesus: Demétrio Machado, farmacêutico que residia próximo a minha casa, e o Reverendo José Gomes Coelho, da Primeira Igreja Presbiteriana da Barra, de quem por várias vezes ouvi da Palavra . Foram homens que deixaram um legado incontestável de serviço e obediência aos ensinamentos de Deus. Alguém que os tenha conhecido, em sã consciência, pode contestar o que aqui estou falando?

Portanto, quando ouvir historinhas que maçom corta a cabeça de bode e bebe o sangue, que usam uma capa preta ou uma armadura de metal para duelar com o capeta, procure, no mínimo, informar-se melhor. Você pode ou não ser maçom, a escolha é sua. O que você não pode é sucumbir a declarações de pessoas que nada conhecem ou que se deixam impregnar por opiniões alheias. E lembre-se: Nem todo aquele que diz Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus.

Livros que foram pesquisados para este texto:- A História dos Batistas no Brasil - JUERP
- A Maçonaria e a Igreja Cristã - Carlos Eduardo Pereira
- História dos Batistas Fluminenses- Ebenezer Soares Ferreira
- Um Judeu Errante no Brasil- Salomão Luiz Ginsburg
 

Por Ivilisi Soares de AzevedoPsicóloga, com formação em dependência química, ambientalista, atual presidente da ACB (Associação Cristã Beneficente) e articulista de diversos jornais do sul do Estado
Artigo publicado no Portal do Jornal Maratiba - ES

Colaboração do Ir.'. Lauro Lustosa VieiraARLS Loja Abrigo do Cedro nº 8
Jurisdicionada a M R Grande Loja Maçonica do Distrito Federal
http://www.abrigodocedro.com

"A MAÇONARIA é UNIVERSAL - SEM FRONTEIRAS, em qualquer ORIENTE, de qualquer RITO, de qualquer POTÊNCIA, somos todos IRMÃOS".

Fonte: comunidademaconica.com.br